COMO A NBA PODE SER CRUEL…

O técnico Monty Williams, após a dura derrota para o Sixers: um desânimo só

* Por Lucas Ottoni

Hoje, 08 de novembro de 2012, é um daqueles dias que o torcedor do Hornets gostaria que “voasse” bem rápido. Afinal, como explicar o que se passou na New Orleans Arena na noite anterior? Como esquecer o segundo tempo tétrico da derrota para o Philadelphia 76ers? Como digerir a pior pontuação em um jogo oficial de toda a história da franquia? E o mais intrigante é que os zangões vinham jogando bem, saíram de uma ótima vitória fora de casa sobre o forte Chicago Bulls e estavam recebendo elogios, não só da imprensa como dos torcedores rivais. O duelo de ontem, contra o Sixers, foi transmitido em rede nacional (nos EUA), e o Hornets teve uma bela chance de consolidar o seu bom momento diante das vistas de todo o país. No entanto, a única coisa que se viu foi um jogo tecnicamente fraquíssimo, com uma atuação pífia (para dizer o mínimo) dos donos da casa. É justamente nessas horas que a gente vê como a NBA pode ser cruel…

Lance Thomas foi muito mal

Sim, cruel. O time do Hornets que atuou diante do Sixers não foi nem sombra da equipe que havia impressionado a todos nas três primeiras partidas do campeonato de 2012-13. Os erros ofensivos foram inúmeros (apenas 33.3% de acerto nos arremessos, 23-69), a inexperiência do nosso grupo ficou bem evidenciada, os 24 turnovers saltaram aos olhos (negativamente, é claro) e a incapacidade de escapar da forte marcação do adversário ficou escancarada. Enfim, uma noite tenebrosa, que culminou na pior pontuação da História da franquia em um jogo de temporada regular: 62 pontos. É isso mesmo, 62 pontos, pior da História. O placar do confronto? Pois não: 77 a 62. A baixa produção do time vencedor, o Sixers, também indica que tivemos uma partida digna das piores peladas.

O primeiro tempo – que já havia sido ruim – terminou com a vitória do Hornets, por 37 a 36. E aí veio a segunda etapa para “coroar” um jogo que todos os fãs de basquete desejariam apagar da História. O Hornets voltou para o 3º quarto totalmente fora de sintonia e anotou apenas 10 pontos, eu disse 10 pontos, em 12 minutos! No último período, a equipe foi um pouco menos pior e marcou 15 tentos. Eu não vou citar nomes ou atuações individuais (perdoe-me, Aminu), pois o Hornets foi péssimo como um todo. Sim, é fato que o Philadelphia 76ers defendeu muito bem, mas os zangões demonstraram o pior de seu repertório nos 24 minutos derradeiros. Um terror! Chateado após o jogo, o técnico Monty Williams não conseguiu esconder a frustração com o que viu em quadra: Eu só acho que faltou conhecimento e experiência (aos jogadores) de como lidar com os rigores da NBA. Você teve sucesso em Chicago. Então, você chega em casa e você acha que vai ser o que for. Nós não demonstramos a mesma força e energia características da nossa equipe“, disse ele. O Monty falou, e eu concordo.

* Confira aqui o Box Score (com vídeos) da partida contra o Sixers

Enfim, foi uma noite para ser esquecida. Como também é para ser esquecida a imagem do Anthony Davis sentado no banco de reservas, totalmente apto a jogar e sem poder exercer a sua profissão. “Grande” política de concussão da NBA! Trata-se o basquete como se ele não fosse um esporte de contato! E quem se volta contra esse absurdo acaba multado, o que é ainda pior. Outro que não atuou foi o ala-armador Austin Rivers, com uma entorse no dedo indicador esquerdo. Sorte para ele, que escapou da noitada vexatória.

Austin Rivers e Anthony Davis não atuaram contra o Sixers

OBS 1: Em 2011, a NBA determinou uma nova política voltada para “proteger” jogadores com suspeita de concussão. Algo parecido com o que se faz na NFL (a liga profissional de futebol americano), onde os contatos costumam ocorrer de forma muito mais traumática do que no basquete. De acordo com essa política, o jogador deve ser afastado das quadras – por tempo indeterminado – para passar por uma bateria de exames e ser acompanhado por um médico contratado pela liga. Só após ser aprovado nesses exames, o atleta é liberado para jogar. No caso de Anthony Davis, ele foi atingido involuntariamente no rosto pelo próprio companheiro (Austin Rivers), mas sem maiores consequências. O ala-pivô só não está jogando porque a liga não permite.

OBS 2: Parece que o Anthony Davis terá condição de jogo nesta sexta-feira, contra o Bobcats. Aí está uma bela notícia dentro de um post nada animador, não é mesmo?

Para terminar este texto amargo, é preciso salientar que a nossa campanha é 2-2 e que não há necessidade de uma “caça às bruxas”. A equipe que jogou ontem acabou entrando para a História da franquia – mas de forma negativa -, com os míseros 62 pontos. Aconteceu, não há como voltar atrás e o melhor a se fazer agora é caminhar para frente. O Hornets ainda tem 78 jogos aí para encarar. O jeito é esquecer o que passou e olhar adiante. GO HORNETS!!!

No vídeo abaixo, os highlights da derrota dos zangões:

* Clique aqui e leia o pós-jogo do blog At The Hive (em inglês)

* HORNETS VS BOBCATS: O próximo duelo dos zangões acontece nesta sexta-feira (09/11), às 23h (horário de verão – Brasília), contra o time de Charlotte, na New Orleans Arena. É hora de voltarmos a vencer em casa, vocês não acham? Eu acho.

* AS SURPRESAS!: Demorou mais que o previsto, mas eu fui soltando as atualizações aos pouquinhos, via Twitter e Facebook do BH. Confiram aí a História, o Elenco, os Destaques e os Calouros do Hornets (todos atualizados!). E comentem, né? Obrigado.

* SÁBIA FRASE: Nada como um dia após o outro…

Anúncios

E O FILME SE REPETE…

Anthony Davis vestiu o uniforme Away dos zangões

* Por Lucas Ottoni

Olá, amigos. Adivinhem só? Ontem à noite, o New Orleans Hornets bateu novamente o Charlotte  Bobcats e segue invicto na pré-temporada 2012 da NBA. Com a suada vitória por 90 a 87, lá no North Charleston Coliseum, em Charleston, os zangões somam agora 3 triunfos em 3 jogos. E adivinhem só? Pois é, como havíamos alertado no post anterior, a partida diante do Cats novamente foi ignorada pelas câmeras da “dona” NBA. É isso mesmo. Novo duelo contra o time de Charlotte; nova ausência de imagens em vídeo. Quem tentou assistir ao jogo na NBA TV, por exemplo, recebeu o singelo recado: “Preseason Game Not Televised” (jogo de pré-temporada não televisionado). Século XXI, pessoal! Sem comentários…

Brian Roberts: cestinha outra vez

Infelizmente, não dá para falar sobre a partida ou destacar alguma evolução no nosso time, já que é impossível analisar aquilo que não se viu (embora muitos jornalistas sejam mestres nessa prática). Então, vamos ter de recorrer novamente ao nosso amigo Box Score, que jeito? Através dele, uma coisa interessante já pôde ser percebida. Sim, o treinador Monty Williams resolveu começar a contenda com o Brian Roberts armando a equipe no lugar do Greivis Vasquez (que, aliás, jogou apenas 15 minutos). O restante dos titulares é o mesmo que já vinha atuando nos duelos anteriores. Roberts, Rivers, Aminu, Davis e Lopez. Esse foi o quinteto inicial que nos rendeu um primeiro quarto animador: 23 a 7. Só que o Bobcats reagiu, e o jogo parecia bastante equilibrado até o último período, quando então os zangões novamente dispararam no placar, com um 36 a 23 que nos rendeu a vitória.

* Confira aqui o Box Score (sem vídeos) da partida

Voltando a falar no Brian Roberts, os números de ontem indicam que ele foi novamente muito bem (a exemplo do que havia ocorrido no último domingo, contra o Orlando Magic). O armador “achado” no basquete alemão anotou 16 pontos (cestinha) e distribuiu 8 assistências, em 29 minutos diante do Cats. Outro atleta com algo a mostrar foi o ala-pivô Anthony Davis (alguma novidade?): 12 pontos e 9 rebotes. Ryan Anderson e Lance Thomas, ambos com 14 pontos, também contribuíram para a nossa vitória. Do lado oposto, o ala-armador Ben Gordon e o ala-pivô Byron Mullens apareceram com 15 pontinhos cada um. E é isso. Eu gostaria de seguir falando sobre o jogo, mas não tenho subsídios – leia-se imagens em vídeo – para empreender tal façanha (clique aqui e boa sorte). A “dona” NBA não colaborou e deixou os fãs de Hornets e Bobcats chupando o dedo. Uma vez mais.

* Entre aqui e siga o Brazilian Hornet no Twitter!

* HORNETS @ ROCKETS: Joguinho ontem; joguinho hoje. É exatamente isso. O Hornets estará de volta à quadra logo mais, lá em Houston, para realizar a sua quarta partida na pré-temporada. Um back-to-back, meus amigos. A bola está prevista para subir às 21h (de Brasília). O Jeremy Lin que se cuide, pois o Davis vem aí!

* O QUE FALTA…: Confiram – no quadrinho abaixo – os jogos que restam para o fim da pré-temporada dos zangões (horários de Brasília):

Outubro Rival Hora
Sex 12 Houston 21:00
Qui 18 Atlanta 20:30
Seg 22 Dallas 21:30
Qua 24 vs Houston 21:00
Sex 26 Miami 21:00

* VOLTAREMOS NA SEGUNDA (15/10): Bom feriado a todos!

A VITÓRIA QUE NÃO SE VIU

Davis vs Kidd-Gilchrist: só em fotografia mesmo

* Por Lucas Ottoni

E aí? Achou estranho o título deste post? Pois é, só que mais estranho do que isso é a falta de bom senso da “dona” NBA. Eu explico: na última terça-feira (09/10), New Orleans Hornets e Charlotte Bobcats se enfrentaram na New Orleans Arena, em mais um jogo da pré-temporada de 2012. E a exemplo do que havia ocorrido no domingo (contra o Orlando Magic), os zangões venceram o rival da Carolina do Norte: 97 a 82. Até aí, tudo ótimo. Mas é agora que o absurdo começa a dar o ar da graça. À exceção dos 9.264 torcedores que estiveram no ginásio do Hornets (além da imprensa e das outras pessoas que trabalharam no local), eu creio que ninguém mais no planeta conseguiu sequer ver imagens – a não ser por foto – da partida! É isso mesmo, não houve a transmissão, ou, se houve, a NBA não a liberou. Parodiando o célebre Joel Santana, vocês acham que eu estou de “palhaçadinha“? Ok, então entrem no site oficial da liga e procurem o vídeo com os tradicionais highlights (melhores momentos) de Hornets vs Bobcats. O primeiro que achar e postar nos nossos comentários ganha um boné maneiríssimo dos zangões! Cortesia do BH!

* Confira aqui o Box Score (sem vídeos) da partida

Brincadeiras à parte, alguém precisa explicar aos “gênios” da NBA que nós já estamos na segunda década do século XXI. É inexplicável (e lastimável) que um jogo da organização de basquete mais importante do planeta não tenha qualquer imagem (em vídeo) divulgada pela própria liga. Além do mais, a partida entre Hornets e Bobcats teve um atrativo bastante interessante, que não deveria jamais passar despercebido por quem “manda na brincadeira”: o duelo do nº 1 (Anthony Davis) contra o nº 2 (Michael Kidd-Gilchrist) do draft de 2012, que jogaram juntos na Universidade de Kentucky mas se viram em lados opostos pela primeira vez como profissionais. E ainda podemos juntar a eles o jovem Austin Rivers (10ª escolha), só para deixar o jogo com 3 atletas Top 10 do último draft. O ridículo da situação é que nada disso pôde ser visto, pois a “dona” NBA resolveu que não iria transmitir as imagens do jogo. Uma mancada colossal, é o mínimo que se pode dizer. Se houve algum motivo de força maior para que a contenda não fosse transmitida, eu não sei. Se alguém aí souber, aguardo os esclarecimentos nos nossos comentários lá embaixo, ok?

A barbicha “che” guevariana do Greivis Vasquez ficou sem vídeo

Bem, como eu não vi a partida, fica impossível comentar, elogiar ou criticar as atuações dos nossos craques (peguei pesado, né?). Pelo Box Score (sem vídeos, é claro), dá apenas para se observar os belos números do pivô Robin Lopez (18 pontos, 13 rebotes, 3 bloqueios e 2 roubos, em 33 minutos), os 22 pontos e 9 rebotes do ala-pivô Anthony Davis, as 11 assistências do armador Greivis Vasquez, os 13 pontos do ala-armador Austin Rivers e o aproveitamento magnífico do (agora ala?) Ryan Anderson nos arremessos de 3 pontos (5-6). Enfim, eu creio que esses tenham sido os destaques do Hornets. Infelizmente, não é possível fazer uma análise aprofundada sobre mais esse triunfo dos zangões, afinal a NBA nos impossibilitou dessa vez. De qualquer forma, eu deixo para vocês aqui o relato (em inglês) de um raro ser humano que assistiu ao jogo. Abraços e até a próxima!

* Clique aqui e veja outras fotos de Hornets vs Bobcats (que jeito?)

* HORNETS @ BOBCATS: Parece brincadeira, mas não é. A NBA tem tudo para repetir a (amarga) dose hoje. As duas equipes voltam a se enfrentar logo mais, às 20h30m (de Brasília), só que dessa vez no North Charleston Coliseum, em Charleston (Carolina do Sul). Será o terceiro duelo dos zangões na pré-temporada (e, provavelmente, o segundo sem qualquer imagem em vídeo).

* ERIC GORDON: Até o momento, ele não deu as caras dentro de quadra. A alegação? Sim, é que o famoso joelho direito ainda não está 100% recuperado. Talvez em meados de 2013, quem sabe?

BEM LONGE DO IDEAL

O pivô Robin Lopez teve uma estreia modesta na vitória do Hornets sobre o Magic

* Por Lucas Ottoni

Olá, amigos. Há poucas horas, o New Orleans Hornets estreou na pré-temporada de 2012 da NBA. O embate foi com o Orlando Magic, lá na Cidade do México. Quem não assistiu ao jogo e leu o título deste post deve estar pensando que tomamos uma “traulitada” daquelas, não é mesmo? Negativo. O Hornets venceu o duelo: 85 a 80. Estrear com vitória é sempre bom, mas o mais importante foi a constatação de que o nosso time ainda está bem longe do ideal e que precisará trabalhar bastante para acertar os ponteiros antes do grande campeonato que se avizinha. Mas vamos agora falar sobre o jogo, e aí vocês verão aonde eu quero chegar…

A Arena da Cidade do México recebeu um grande público (18.133 presentes) para o amistoso entre Hornets e Magic. A maioria esmagadora, claro, estava apoiando a turma de Orlando, novo time do mexicano (e nosso ex-ala-pivô) Gustavo Ayon. Mas esse foi o menor dos problemas do técnico Monty Williams. Assim que a bola subiu, o Magic fez rapidamente 10 a 0 no placar. Com uma equipe totalmente reformulada (e sem Eric Gordon, poupado), o Hornets sofreu com a falta de entrosamento e errou demais no primeiro período. Os zangões iniciaram com: Greivis Vasquez, Austin Rivers, Al-Farouq Aminu, Anthony Davis e Robin Lopez. O que se via em solo mexicano era a indecisão da dupla Vasquez e Rivers, que parecia não saber quem armava o jogo e quem abria para o “chute”, um Aminu burocrático (que logo deu lugar a um Ryan Anderson que amassou o aro, 1-11 em FG!) e um Lopez errando tudo o que tentava. Anthony Davis? Sim, o Top 1 do draft de 2012 finalmente estreou com a camiseta do Hornets e sentiu dificuldades, sobretudo no ataque. Do outro lado, o Magic contava com um quinteto que já se conhece há um bom tempo (Nelson, Redick, Turkoglu…), e isso fez toda a diferença ao longo do duelo. Jogando mal, os zangões foram para o intervalo 15 pontos atrás do rival da Florida (31 a 46).

Brian Roberts foi o “cara” dos zangões

Vale destacar que a vantagem do Magic chegou a 21 pontos de diferença, e tudo parecia estar perdido para o Hornets. No entanto, após um tempo técnico pedido pelo treinador Monty Williams, o time da Louisiana melhorou a defesa e passou a organizar melhor as suas jogadas de ataque na segunda metade do jogo. Reagindo no momento certo, os zangões foram para o último quarto “apenas” 12 pontinhos atrás do adversário. E como em jogo de pré-temporada o resultado final é o que menos interessa, os técnicos de ambas as equipes resolveram colocar os seus reservas para assumirem a responsabilidade na hora “H”, nos minutos derradeiros. E foi logo aí que brilhou a estrela do armador Brian Roberts (lembra dele?), que comandou a virada dos zangões anotando 17 pontos (cestinha da partida, 3-4 em bolas de três pontos), com 4 assistências, 4 rebotes e 2 roubos, em 27 minutos. Enfim, a grande reação do New Orleans Hornets é digna de aplausos, mas as dificuldades que o time apresentou ficaram evidenciadas lá no México.

* Confira aqui o Box Score (com vídeos) da partida

* Clique aqui e veja outras fotos de Hornets vs Magic

Além da juventude e da falta de entrosamento dos jogadores (foram 9 os que atuaram com a camiseta do Hornets pela primeira vez), alguns equívocos frequentes que o time já vinha apresentando no passado retornaram como fantasmas para atormentar o técnico Monty Williams: inúmeros arremessos forçados, baixo aproveitamento na linha de lances livres (61.8% contra 78.6% do Magic) e desperdícios infantis da posse de bola. Individualmente, alguns jogadores renderam abaixo do que podem, o que também indica que um longo trabalho precisa ser feito para que todo o elenco atinja o nível desejado. Estrear com a vitória no México foi agradável, mas ficou no ar a sensação de que o Hornets ainda tem muito a melhorar antes do início da temporada 2012-13. Manos a la obra, Sr. Monty!

No vídeo abaixo, os highlights da vitória do Hornets:

OBS 1O Anthony Davis é tão bom, mas tão bom, que mesmo sem brilhar e jogando apenas 23 minutos, ele quase conseguiu um duplo-duplo em sua estreia pelo Hornets: foram 8 pontos, 8 rebotes e 2 bloqueios contra o Magic. E isso é só o começo…

Anthony Davis ficou perto de obter um duplo-duplo no México

OBS 2: Se o Brian Roberts mantiver esse nível atual ao longo da temporada, ele poderá se tornar um dos maiores achados da NBA nos últimos anos. Eu posso estar me apressando demais, eu sei. Mas o que ele nos mostrou hoje – e também na Summer League de Las Vegas – só me dá motivos para estar bastante otimista. Ponto para o GM Dell Demps!

* HORNETS VS BOBCATS: Nesta terça-feira (09/10), o Hornets voltará à quadra para a sua segunda partida na pré-temporada. Os zangões vão encarar o Charlotte Bobcats, na New Orleans Arena, a partir das 21h (de Brasília).

* VASQUEZ EM ALTA: Lembram da nossa última enquete? O BH perguntou qual foi o melhor comércio realizado pelo GM Dell Demps no Hornets, e a resposta vencedora (até o momento) foi “Quincy Pondexter por Greivis Vasquez (2011)”, que obteve 28 votos (36.84%) de um total de 76. Na segunda colocação, com 16 votos (21.05%), ficou a opção “Gustavo Ayon por Ryan Anderson – sign and trade (2012)”. Clique aqui e confira os demais resultados (e vote também, se quiser! A enquete segue aberta).

* FUNDO NOVO: Conforme havíamos postado no nosso Twitter, tiramos do blog aquela “parte” do “finado” Chris Paul e resolvemos prestigiar os nossos calouros Austin Rivers e Anthony Davis. Agora sim, o BH está mais com cara de Hornets versão 2012-13, concordam?

BRING BACK THE BUZZ!

* Por Lucas Ottoni

É, amigos. Pelo visto, o Hornets saiu de Charlotte, mas Charlotte não saiu do Hornets. Encontrei estes dois vídeos (o de cima e o de baixo, obviamente) e achei interessante postá-los aqui. Muitos fãs da antiga cidade que abrigava os zangões ainda não se conformaram com a saída do time para New Orleans. Além disso, a nova franquia Bobcats não emplacou e não conseguiu cair nas graças de boa parte dos torcedores de Charlotte. O título deste post- BRING BACK DE BUZZ! (Tragam de volta o zumbido!) – se refere aos dois vídeos e comprova essa situação.

O primeiro vídeo, lá em cima, deixa bem claro que o verdadeiro time de Charlotte é o Hornets. Não apenas pela trajetória de mais de uma década na cidade (com equipes e atletas marcantes), mas também por toda a história de luta que envolve o nome HORNETS. Observem este trecho que está publicado em História da franquia, lá no nosso cabeçalho:

“Originalmente, a nova equipe iria se chamar Charlotte Spirit, mas um concurso para escolha do nome do time acabou tendo “Hornets (zangões)” como a opção vencedora. O nome foi derivado de uma feroz resistência da cidade à ocupação britânica durante a guerra revolucionária no século 18, o que levou o comandante britânico, lorde Charles Cornwallis, a se referir a Charlotte como “um ninho de vespas””.

Certamente, esse é um nome que traz orgulho à cidade de Charlotte. E isso tanto é verdade, que no segundo vídeo (aí embaixo) os fãs pedem a “volta do zumbido” em plena Time Warner Cable Arena, o ginásio do Charlotte Bobcats.

Em New Orleans desde 2002, a franquia Hornets pode estar em vias de mudar de nome. Mas ainda há tempo de o sr. Tom Benson (o proprietário do time) se sensibilizar e enxergar que há muita história por trás dos zangões. E isso não pode ser apagado da noite para o dia. Não deixemos o zumbido silenciar!

* NOVIDADES: Eu não sei se vocês perceberam, mas nós destacamos as retrospectivas do elenco do Hornets e as peças (já apresentadas) do nosso acervo em ícones (com foto) aí no lado direito do blog. É uma forma mais simples para vocês pesquisarem dentro do BH. E não é só isso! Em breve, nós atualizaremos a História da franquia (e faremos alguns consertos e alterações), o Elenco e os Calouros. E a promoção com a camiseta do Anthony Davis deverá mesmo sair. Aguardem!

* AINDA HOJE…: Logo mais, o BH apresentará uma enquete a vocês. Votem, comentem e participem! Este blog é de todos nós!