QUANDO É QUE O GORDON VOLTA?

O esforço do Okafor não foi suficiente para evitar a derrota

* Por Lucas Ottoni

Essa tem sido a pergunta feita por dez entre dez torcedores do New Orleans Hornets (2-3). Na última madrugada (de Brasília), a equipe da Louisiana foi até Salt Lake City e saiu de lá com sua terceira derrota consecutiva na temporada 2011-12 da NBA. Os zangões fizeram uma partida equilibrada com o Utah Jazz (2-3) e chegaram a estar liderando o jogo por 4 pontos, ao longo do quarto período. Entretanto, os minutos derradeiros acabaram sendo fatais para o Hornets. Os muitos erros, cometidos em momentos cruciais, redundaram na vitória do Jazz, por 94 a 90. Além disso, a ausência do SG Eric Gordon, um jogador que tem média de 20 pontos por jogo, fez toda a diferença a favor do adversário (não apenas nessa partida, é claro). O reserva imediato de Gordon (em teoria) é o italiano Marco Belinelli, que vem tendo um início de campeonato absolutamente terrível. Então, quando você perde um atleta talentoso e que pode decidir jogos (como o Gordon fez na nossa estreia, contra o Phoenix Suns), as dificuldades são enormes, e o Hornets tem sofrido bastante com isso nos últimos dias.

Marco Belinelli vive um péssimo momento

Vamos falar um pouco sobre o Marco Belinelli. Esse ala-armador italiano, 18ª escolha do draft de 2007, pelo Golden State Warriors, está na sua quinta temporada na NBA. Antes do Hornets, atuou (sem sucesso) no Toronto Raptors e no próprio Golden State. É um jogador limitado tecnicamente, mas que sempre foi conhecido por ter um bom arremesso de média e longa distâncias.  É o tipo de atleta que sai do banco de reservas e pode ajudar na pontuação, caso esteja em uma noite inspirada. Chegou ao Hornets na temporada passada, acabou ganhando a titularidade do promissor Marcus Thornton (hoje no Sacramento Kings) e apresentou 10.5 pontos por jogo, atuando 24 minutos (em média), ao longo de 80 partidas. Desde essa época, muitos apontavam para o fato de que o Hornets precisava de um SG titular mais consistente, mais decisivo e com melhores números. Pois bem, eis que surge o Eric Gordon. Certo, mas continuemos falando sobre o Belinelli e suas estatísticas, nos parágrafos abaixo.

* Confira aqui o Box Score (com vídeos) da partida

No fim da última temporada, o italiano de 25 anos se tornou agente livre restrito, quer dizer, o Hornets teria a prioridade para igualar qualquer oferta que uma outra equipe da NBA fizesse pelos serviços do Belinelli. Pelo visto, essas ofertas não apareceram, e os zangões o trouxeram de volta, com um salário de U$ 3,4 milhões (para cumprir o seu último ano de contrato). Com a vinda do Eric Gordon, eu achei que o Belinelli, enfim, iria ser de grande utilidade para o Hornets saindo do banco, com minutos limitados, ajudando na pontuação. Ele teve oportunidades como titular na temporada passada, e ficou claro para todos que o italiano é um atleta para compor o nosso banco e ser um complemento na rotação. Bem, aí o Eric Gordon se machuca logo no ínicio do campeonato, e o Belinelli assume a função de titular novamente. Eis as médias dele nesses cinco primeiros jogos, todos como titular (na estreia, contra o Suns, o Jarrett Jack estava suspenso, e o Belinelli começou o jogo como PG!):

Minutos: 34:36

Pontos: 8.6

Assistências: 1.0

Rebotes: 6.2 (!)

Roubos: 0.8

Bloqueios: 0.0

Aí está. Quando um SG se destaca apenas pelo número de rebotes agarrados, é porque alguma coisa está muito, muito errada. À exceção dos rebotes, os números do Belinelli são absolutamente pífios, principalmente para um jogador que tem atuado por mais de 34 minutos, em média. Nessa última partida, contra o Utah Jazz, ele atuou por 37 minutos e anotou míseros 6 pontos, com 4 rebotes, 1 assistência, 1 roubo e 3 TO (um deles, decisivo, no fim do jogo)! Seu aproveitamento de FG também foi muito ruim: 2-9! Números terríveis, que comprometeram demais o desempenho do time, em Salt Lake City. A partir desses números, podemos chegar a duas conclusões óbvias:

1) O Marco Belinelli não pode ser titular do Hornets, e nem de time nenhum da NBA

2) A ausência do Eric Gordon está sendo decisiva para os resultados negativos dos zangões

Essas duas conclusões estão intimamente ligadas, é claro. Depois disso, alguns podem dizer que eu jogando nas costas do Belinelli, a culpa pelas derrotas do Hornets. Nada disso. Eu apenas estou mostrando o quão essencial é o Eric Gordon para esse time de New Orleans, pois ele não tem um reserva à altura, que possa substituí-lo por vários minutos, sem que o nível de atuação da equipe caia drasticamente. O fato é que o Belinelli pode vir a ser um reserva útil, mas ele não pode jogar 37 minutos. Não pode! O técnico Monty Williams já deveria ter percebido isso (aí vai a crítica) e buscado outras alternativas na ausência do Eric Gordon. Colocar Jack e Vasquez juntos por mais tempo, ou passar o Ariza para SG, com o Aminu entrando de SF, ou mesmo dar mais minutos para o Trey Johnson. Alguma coisa precisa ser feita, na ausência do Gordon. Manter tudo do jeito que está é como aceitar as derrotas com passividade. É isso o que eu penso.

Eric Gordon sentado no banco: não podemos mais ver isso!

Mais uma vez, o pessoal do Hornets247 comentou (em inglês) as atuações individuais do time graduando cada jogador, após a derrota para o Utah Jazz. Deem uma olhada nas avaliações. Sabem quem levou um F? Adivinhem…

OBS 1: O armador Jarrett Jack, que foi muito mal contra o Kings, acabou se destacando diante do Jazz. Anotou 27 pontos, 11 assistências, 5 rebotes, 1 roubo e 2 bloqueios, em 40 minutos. Eu não disse que ele era de altos e baixos?

OBS 2:  Jason Smith, o nosso ala-pivô reserva, fez sua melhor partida nessa temporada. Ele conseguiu 16 pontos, 8 rebotes, 1 roubo e 1 bloqueio, em 25 minutos. Excelente performance!

OBS 3: Como é bom, esse Al Jefferson! Não fosse ele, e hoje acordaríamos com 3-2. Para mim, é o principal jogador do Utah Jazz na atualidade.

Para terminar, agora eu vou falar sobre a situação do Eric Gordon. Ele machucou o joelho direito na vitória dramática sobre o Suns, há mais de uma semana, e o técnico Monty Williams resolveu deixá-lo fora de algumas partidas, para que a contusão não se agravasse. Respondendo à pergunta do título do post, parece que o Gordon vai retornar ao time nesta quarta-feira (Aleluia!), contra o Philadelphia 76ers, na New Orleans Arena. Um retorno em muito boa hora, já que, para mim, está mais do que claro: ele é o jogador mais importante do New Orleans Hornets.

No vídeo abaixo, alguns highlights da derrota dos zangões:

* Veja o pós-jogo do blog New Orleans Hornets Brasil


 FERROADAS:

* MÁ NOTÍCIA: O ala Trevor Ariza saiu de quadra, contra o Jazz, sentindo dores na virilha. Ele, que não teve uma boa atuação em Utah, será reavaliado no retorno do time a New Orleans. É dúvida para a partida contra o Sixers.

* REBOTE É BOM, MAS…: O Hornets é um dos líderes da temporada em rebotes, até o momento. Sobretudo, os rebotes ofensivos. Isso é bom, mas não me entusiasma. O fato é que, se não melhorarmos nosso aproveitamento no ataque, de nada adianta dominar o garrafão. No basquete, vence quem pontua mais. Não nos esqueçamos disso.

About these ads

9 thoughts on “QUANDO É QUE O GORDON VOLTA?

  1. Ola.

    Bem, fiquei acordado até às 4.25 da madrugada (hora de Lisboa), vi uma boa partida dos Hornets até ao último periodo. O Marco Bellineli, como já se tinha visto a temporada passada, é apenas um bom role-player (acho que é assim que se diz). O jogador que vem do banco para fazer descansar os titulares. Pena que o Gordon esteja lesionado.

    Falando de outro assunto, não estou a gostar dos Minnesota. Os caras estão a jogar muito! Bastante jovens, com um Super-Love e não dão mostras de querer o ultimo lugar do Oeste…

    • É verdade, Sergio. Concordo. O Belinelli é um jogador para compor o elenco. Não pode ser protagonista, não pode receber 37 minutos, como recebeu contra o Jazz. É um jogador que entra para que o Gordon possa descansar, exatamente como você disse.

      No horário aqui do Rio de Janeiro, o jogo acabou por volta de 02h40m da madrugada. Mas, como estou de férias, não me importo em dormir até mais tarde para ver o meu Hornets, time do meu coração, ao lado do Vasco da Gama (de futebol, você deve conhecer…rs).

      Sobre o Wolves, eles estão jogando bem. Mas acho que o campeonato ainda está muito no começo. Não sei se conseguirão manter o bom nível de atuações. Continuo torcendo para que eles passem longe dos playoffs… rs

      Aquele abraço!

      • Claro que conheço o Vasco. Quase campeão… Obviamente que o futebol brasileiro é seguido de perto aqui em Portugal e os times portugueses estão cheio de craques brasileiros. Sou do Benfica em PT.

        Se o jogo acabou às 2.40 então fui dormir às 4.40. Como era muito tarde já nem vi bem a hora.

        Espero mesmo que os Wolves venham abaixo, não tenho nada contra eles. Até têm jogadores jovens interessantes, mas o interesse dos Hornets está acima de tudo.

  2. És benfiquista? Legal. Tenho simpatia pelo Benfica. Mas vocês só não podem levar o Dedé daqui. Senão, eu me zango… rsrsrs

    Eu também nada tenho contra o Wolves. Mas, como você disse, o interesse do Hornets está acima de tudo. rs

    Abço!

  3. essa noticia do ariza… não duvidaria se o bellineli jogasse como SF

    não assisti o jogo contra utah mais como o monty deixa o bellineli 37 minutos( q devia ser o kyle korver do hornets e não o CP3)e o vasquez so jogou 10 minutos

    tomara q o gordon volte pq acho q daki 2 temporadas ele sera o nosso franchise player

  4. Pois é, Daniel. Se o Ariza não jogar, eu entraria com o Aminu. Mas eu também não sei o que se passa na cabeça do nosso técnico. Vamos aguardar…

    O Vasquez, nos poucos minutos que teve, não foi bem como nos outros jogos. No entanto, eu insistiria um pouco mais com o venezuelano. Como você disse, 37 minutos para o Belinelli é muita coisa. Ele não tem basquete que justifique tudo isso de tempo em quadra.

    E o Gordon, se Deus quiser, volta nesta quarta, contra o Sixers. Assim espero.

    Aquele abraço!

    • Putz, até que não seria mal. O Alex nem teve tempo de mostrar seu jogo na NBA. Se machucou bastante na época. Agora, mais experiente, poderia até ser útil. Pior do que o Belinelli vem jogando, acho que o Alex não conseguiria… rs

      Abço!

  5. Pingback: PECANDO EM MOMENTOS CRUCIAIS | Brazilian Hornet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s