O QUE VEREMOS NO DIA 31?

Anthony Davis acabou com o Heat! Mas como será na estreia?

* Por Lucas Ottoni

Saudações, pessoal. Eu acabei atrasando as análises dos últimos três jogos do New Orleans Hornets na pré-temporada de 2012, pois tive compromissos importantes e não consegui atualizar o BH com a constância que gostaria. Mas agora estou aqui para falar sobre essa reta final do nosso time, antes de a bola subir para valer. Sem mais delongas, vamos lá…

Na última segunda-feira (22/10), o Hornets foi até o Texas e não realizou uma boa apresentação. O time da Louisiana acabou derrotado pelo Dallas Mavericks, por 87 a 74, em um jogo fraco tecnicamente. Se os anfitriões (sem o craque alemão Dirk Nowitzki) não empolgaram, o Hornets tampouco. Dessa forma, acabou vencendo a contenda aquele que errou menos. Senão vejamos: 28-84 nos arremessos de quadra (33.3%). Arremessos de 3 pontos? Foram 7-25 (28.0%).  Aí estão alguns números (terríveis) do Hornets. Pronto, eis o motivo da nossa derrota – além do 1º quarto horroroso que tivemos (10 a 25). Já o Mavs teve um aproveitamento muito parecido com o nosso (que joguinho, hein!), mas se desempenhou bem melhor na defesa e administrou o placar que havia construído nos minutos iniciais. O destaque dos zangões acabou sendo o elogiado ala-pivô Anthony Davis, que – apesar dos míseros 6 pontos – apanhou 17 rebotes. Foi bom, mas foi pouco.

* Confira aqui o Box Score (com vídeos) da partida contra o Mavs

Hornets vs Rockets: nova derrota

Dois dias após o revés em Dallas, o Hornets voltou para o seu doce lar e enfrentou o Houston Rockets, lá na New Orleans Arena. Vale lembrar que os dois times já haviam se encarado nessa pré-temporada, e os texanos levaram a melhor (relembre aqui). Portanto, os zangões teriam a chance de dar o troco (embora isso não seja tão relevante assim. Estamos falando de pré-temporada, né?). Só que o revide não aconteceu, pois o trio Kevin Martin, Chandler Parsons e Carlos Delfino estava em noite inspirada e nos pulverizou com arremessos da linha dos 3 pontos. Os três combinaram 11-21 em “chutes” de longa distância, um bom aproveitamento de 50%. O nosso ala-pivô Ryan Anderson (cestinha do jogo, com 23 pontos) também mostrou que sabe atirar de longe (5-7 em arremessos de três), mas isso não foi o suficiente para evitar o triunfo do Rockets: 97 a 90. Outro destaque (positivo e negativo) do Hornets foi o armador Greivis Vasquez. Ele conseguiu um duplo-duplo (13 pontos e 11 assistências), mas cometeu 8 turnovers!  E, mais uma vez, a nossa defesa não funcionou bem.

* Confira aqui o Box Score (com vídeos) da partida contra o Rockets

Vindo de uma sequência de quatro derrotas (contando com as duas da semana anterior, para Atlanta Hawks e o próprio Rockets) e jogando mal, o Hornets teve de encerrar a sua pré-temporada “dançando com a mais feia”. É isso mesmo, o nosso time viajou até a Florida para encarar o atual campeão da NBA, o poderoso Miami Heat, de LeBron James, Dwyane Wade e Chris Bosh. A bola subiu na última sexta-feira (26/10), e nem o mais otimista torcedor dos zangões poderia imaginar o que estava para acontecer…

LeBron James foi bem marcado

Jogando muito bem (e com bastante vontade), o Hornets colocou a forte equipe de Miami para correr e atuou em ritmo de temporada. Com belos lances de ambos os lados, a partida foi para o intervalo empatada em 47 a 47. Se Chris Bosh causava problemas à defesa dos zangões, ou LeBron James conseguia jogadas de efeito, a resposta vinha com o monstruoso (no bom sentido) Anthony Davis em grande noite. O nosso jovem e promissor ala-pivô anotou nada menos que 24 pontos e apanhou 11 rebotes, com 3 roubos e 1 bloqueio. Nada mal, hein? O armador Greivis Vasquez e o ala Al-Farouq Aminu (!) também conseguiram números de duplo-duplo, e os grandões Ryan Anderson e Robin Lopez completaram a atuação sólida dos visitantes. O resultado disso foi um último período eletrizante, em que os dois times se revezavam na liderança do placar. O fato de LeBron James ter sido poupado nos minutos derradeiros facilitou a vida dos zangões, mas não diminuiu o valor da nossa vitória por 96 a 89. Mais importante que o resultado, foi a atuação vibrante do Hornets. A equipe da Louisiana apresentou uma defesa eficiente e melhorou demais o seu aproveitamento ofensivo. E fez tudo isso contra o atual campeão da liga e em rede nacional (a partida foi transmitida na TV para todo o território americano). Bem animador, não é mesmo?

* Confira aqui o Box Score (com vídeos) da partida contra o Heat

Enfim, o Hornets terminou a sua pré-temporada com uma campanha 4-4 e acabou deixando na mente dos fãs outra dúvida cruel. Afinal, a gente não sabe qual Hornets nós veremos no dia 31 de outubro, data da estreia dos zangões no campeonato de 2012-13 (vs Spurs, na New Orleans Arena). Será o das derrotas, apagões e baixo aproveitamento? Ou será o que derrotou o atual campeão da liga –  dentro do ginásio dos caras – jogando muitíssimo bem? Teremos a resposta na próxima quarta-feira. A conferir…

No vídeo abaixo, os highlights da vitória em Miami:

OBS 1: O jovem ala-armador Austin Rivers lesionou o mesmo tornozelo direito em duas partidas diferentes na última semana, contra Mavericks e Heat (vejam aqui e aqui). Apesar disso, o caso não parece ser grave. Ainda bem, né?

OBS 2: No post desta segunda-feira (29/10), amanhã, eu farei uma análise individual de cada jogador do nosso time na pré-temporada, e o que esperar deles em 2012-13. Não percam!

* O ADEUS DE DAVID STERN: O comissário da NBA anunciou que irá deixar o cargo em 2014. Ok, ele pode ser polêmico e, por vezes, impopular. Pode ter apresentado atitudes que não agradaram ou aparecido com declarações para lá de controversas. Mas uma coisa é inegável. O cara fez um trabalho espetacular no comando da liga. Ele está no cargo desde meados da década de 1980, e, de lá para cá, a NBA se transformou em um negócio absolutamente rentável e de dimensões globais. Merece, no mínimo, uma salva de palmas de todos os que amam esse esporte chamado basquete. Obrigado, Stern!

* AT THE HIVE: O blog americano especializado em New Orleans Hornets está com cara nova (vejam aqui). Eu achei muito legal! E vocês?

* Entre aqui e curta o Brazilian Hornet no Facebook!

* JAMES HARDEN NO ROCKETS: Saindo um pouco do nosso time, fui só eu quem achou essa troca excelente para o Oklahoma City Thunder? O que vocês pensam a respeito? Opinem aí embaixo, nos nossos comentários!

VAI SAIR…: Sim, nós temos algumas coisinhas a serem atualizadas aqui no BH (História, Elenco, Calouros…), e o problema é a falta de tempo mesmo. Mas até o início da temporada, eu verei se consigo ajeitar tudo. Prometo.

Anúncios

UMA DUPLA AFINADA

* Por Lucas Ottoni

Olá, parceiros. O post de hoje é rápido, pois eu só quero mostrar o vídeo acima para o pessoal. Ele já rola no YouTube há um tempinho, mas eu o encontrei hoje e gostei do que vi. Não conheço o “pai da criança” (Simple OG), mas preciso parabenizá-lo. Muito legal! O que temos são imagens sensacionais dos calouros do Hornets – Anthony Davis e Austin Rivers – barbarizando na telinha do videogame. Trata-se do jogo NBA 2K12, uma verdadeira febre entre os fãs da pelota laranja. No vídeo, Davis e Rivers fazem de tudo: dribles, arremessos, pontes, enterradas… E quem sofre são os marcadores de Los Angeles Lakers, Miami Heat e Oklahoma City Thunder. Tudo é muito bem feito e parece quase real. Um grande show! Agora, só nos resta torcer para que essa dupla afinada faça estragos não apenas nos games, né?

OBS 1: A música do vídeo também é muito legal. Trata-se de “Touch the Sky“, do rapper americano Kanye West.

OBS 2: Eu não sei se vocês repararam, mas a bola manuseada por Rivers e Davis no vídeo não é a oficial da NBA. Me parece a bola utilizada em jogos da FIBA, a Federação Internacional de Basquetebol. Um deslize? Que nada. O que importa não é a bola, mas sim o que fazem com ela, concordam?

* HORNETS VS ROCKETS: Nesta quarta-feira (24/10), o Hornets voltará à quadra para a sua sétima partida na pré-temporada. Os zangões vão encarar o time de Houston, na New Orleans Arena, a partir das 22h (horário de verão – Brasília). GO HORNETS!!!

* Clique aqui e siga o Brazilian Hornet no Twitter!

* DERROTA: Falaremos sobre o jogo contra o Mavericks (que aconteceu na última segunda, 22/10, em Dallas) no próximo post. Na verdade, eu não tenho a menor vontade de comentar o que se passou lá no Texas, mas nós vamos postar uma análise dupla, das duas partidas (Mavs e Rockets). Aguardem!

OS CALOUROS E O PÚBLICO

* Por Lucas Ottoni

No último sábado (20/10), a New Orleans Arena recebeu os torcedores do Hornets para um treinamento aberto ao público (open practice). Os fãs tiraram fotos com os atletas, observaram de perto os caras batendo uma bolinha e “entrevistaram” os três calouros da nossa equipe (Anthony Davis, Austin Rivers e Darius Miller). E foram justamente as perguntas dos espectadores que arrancaram os maiores sorrisos, tanto da plateia quanto dos jogadores (confiram no vídeo acima).

* Clique aqui e veja várias fotos do open practice do Hornets

Para quem não entende muito bem o inglês, eu farei um resuminho rápido desse contato entre fãs e atletas dos zangões: O ala-pivô Anthony Davis foi o mais aplaudido e parecia o mais animado dentre os três “entrevistados”. O cara tem um carisma natural e ficou bem à vontade, tanto que logo provocou o ala-armador Austin Rivers. Sem dó do novo companheiro, Davis falou sobre a Universidade de Duke. Foi a deixa para que o locutor perguntasse: “Quem aqui já ganhou um título nacional (universitário)?“. Davis e Miller levantaram as mãos, e Rivers nada pôde fazer. O público caiu na gargalhada. Logo depois, foi a vez de Davis brincar com Darius Miller ao dizer que o amigo só aprendeu a jogar basquete quando foi para a Universidade de Kentucky. Mas dessa vez, Miller não deixou barato: “Pelo menos, eu saí de lá formado (graduado)“, respondeu o ala. Mais gargalhadas, e um Davis desconcertado. Os três também responderam sobre os atletas que eles mais gostam, e Davis logo mandou um “Michael Jordan“. Depois, emendou os nomes de Kevin Garnett e LeBron James. Rivers falou em Allen Iverson e Dwyane Wade, que também foi citado por Miller. Eles disseram os nomes de seus restaurantes preferidos em New Orleans e, no fim, mostraram comprometimento em levar o Hornets a uma trajetória de sucesso. Aplausos da plateia. E também de Davis, o mais animado da turma.

OBS 1: Os amigos Anthony Davis e Darius Miller foram campeões nacionais universitários com Kentucky, em 2012. Já Austin Rivers atuou por Duke e não conseguiu o título.

OBS 2: Darius Miller cumpriu 4 anos na Universidade de Kentucky e se formou (tentei achar o curso, mas não encontrei) em 2012. Já Anthony Davis foi para a NBA após somente 1 ano de faculdade.

* HORNETS @ MAVERICKS: Nesta segunda-feira (22/10), o Hornets voltará à quadra para a sua sexta partida na pré-temporada – mais uma fora de casa. Os zangões vão encarar o time de Dallas, no American Airlines Center, a partir das 22h30m (horário de verão – Brasília). GO HORNETS!!!

* ERIC GORDON: De acordo com o técnico Monty Williams, o ala-armador não deverá participar de nenhum jogo do Hornets na pré-temporada. Monty disse que o atleta mais bem pago do elenco (U$ 58 milhões por 4 anos!) ainda não está nas condições físicas ideais. Haja paciência…

PACIÊNCIA: A PALAVRA DA VEZ

O belo uniforme do Greivis Vasquez foi o que tivemos de bom, em Dallas

* Por Lucas Ottoni

Primeiramente, eu gostaria de me desculpar com o pessoal que acompanha o Brazilian Hornet. A intenção era atualizar o blog neste último domingo (08/01), mas não foi possível. Compromissos importantes surgiram e me impossibilitaram de escrever. Coisas que acontecem, não é mesmo? Aliás, nem há muito o que falar nesse momento. O New Orleans Hornets perdeu mais dois jogos e já está com uma sequência terrível de seis derrotas na temporada 2011-12 da NBA. Dessa forma, os zangões dividem a lanterna da Conferência Oeste com Houston Rockets e Golden State Warriors, todos com 2-6. Nosso time começou vencendo (surpreendentemente) as duas primeiras partidas do campeonato, e tudo parecia fantástico. No entanto, a NBA não perdoa certas situações: desentrosamento, inexperiência, lesões de jogadores importantes, erros infantis, apagões em momentos cruciais, etc. O Hornets começou a sofrer com tudo isso de uma vez só, as limitações do elenco não tardaram a surgir, e os resultados positivos sumiram do mapa. O momento é de transição, de reconstrução. A palavra da vez, em New Orleans, chama-se PACIÊNCIA.

No nosso segundo back-to-back, contra Denver Nuggets (na sexta-feira) e Dallas Mavericks (no sábado para domingo), o que se viu foi um time que parece não saber como ganhar seus jogos. Vou falar, rapidamente, sobre cada partida:

Carl Landry, na derrota para o Nuggets

Contra a boa equipe do Nuggets, na última sexta-feira (06/01), na New Orleans Arena, o Hornets já entrou em quadra prejudicado pela ausência de dois titulares: Eric Gordon e Trevor Ariza, ambos lesionados. A partir daí, muitos poderiam achar que os zangões seriam dominados do começo ao fim, mas não foi isso o que aconteceu. O time liderou a partida até o início do último quarto, quando, em outro apagão terrível, cedeu ao Denver uma inacreditável corrida de 19 a 0 no placar. Não há como resistir a isso! Mais uma vez faltou malandragem, experiência, marcação, tranquilidade e uma boa dose de sorte também. O resultado não poderia ser outro: vitória dos visitantes, por 96 a 88.

* Confira aqui o Box Score (com vídeos) da partida (contra o Nuggets)

* Veja o pós-jogo do blog New Orleans Hornets Brasil

Um dia depois, na madrugada (de Brasília) de sábado para domingo (08/01), o Hornets foi até o American Airlines Center, no Texas, para enfrentar o atual campeão da NBA, o Dallas Mavericks. A equipe de Dallas nem vive um momento assim tão bom, mas não teve muitos problemas para decretar a sexta derrota consecutiva dos zangões. Errando demais, o time de New Orleans se viu atrás no placar durante toda a partida. Foram 21 TO, no total! É muita coisa! Além disso, Eric Gordon, Trevor Ariza e Jason Smith (com problemas familiares) também não jogaram. Isso abriu espaço para atletas menos experientes, como Carldell Johnson, Al-Farouq Aminu (que até fez boa partida) e Gustavo Ayon. É importante colocar esses jogadores em quadra, para que eles possam adquirir experiência jogando, e o técnico Monty Williams está correto ao fazer isso. Contudo, ele sabe que o preço a ser pago pode ser alto, como vem sendo. Os desfalques importantes e inúmeros erros em quadra acabaram sendo decisivos. Muito mais experiente, e com jogadores do quilate de um Dirk Nowitzki e de um Jason Terry, o Mavericks dominou o duelo inteiro e saiu de quadra com uma vitória tranquila: 96 a 81.

* Confira aqui o Box Score (com vídeos) da partida (contra o Mavs)

* Veja o pós-jogo do blog New Orleans Hornets Brasil

Ofensivamente, o Hornets vem apresentando graves problemas. Sem Eric Gordon, o time não possui um shooter confiável. Além disso, falta um armador mais cerebral, que controle o jogo e tranquilize a equipe nos momentos críticos das partidas. Jarrett Jack não é esse jogador. E, no garrafão, os zangões sofrem com as limitações de Emeka Okafor no ataque. Como consequência, a franquia da Louisiana possui um dos piores aproveitamentos ofensivos de todo o campeonato. Trabalho para Monty Williams…

Na defesa, os zangões permitiram mais de 100 pontos ao adversário, em apenas uma das oito partidas disputadas até o momento. Esse fato aconteceu na derrota de 101 a 93 para o Philadelphia 76ers, na última quarta-feira. Isso é um bom sinal, a filosofia defensiva implantada na equipe vem dando resultados. Entretanto, o desempenho terrível do nosso ataque está comprometendo todos os nossos esforços defensivos. Afinal, de nada adianta você tomar 80 pontos e fazer 79, não é mesmo?

O jovem Al-Farouq Aminu escapa do experiente Vince Carter, do Dallas Mavericks

Além disso, os inúmeros erros de passes, faltas ofensivas e arremessos equivocados que podemos observar a cada partida do Hornets mostram uma equipe que ainda não encontrou o entrosamento ideal e a maturidade para vencer muitos jogos na NBA. Diante desse panorama, o que eu posso dizer? Para o Monty Williams e os jogadores, trabalho. Para nós, torcedores, paciência. Muita paciência.

Ah, e daqui a pouco tem mais! O Hornets voltará à quadra para enfrentar o Denver Nuggets, à meia-noite (de Brasília) desta segunda para terça-feira (10/01), no Pepsi Center, em Denver. Mais um jogo complicadíssimo para os zangões. Já é hora de pensar em draft? Acho que não. Vamos dar tempo ao tempo…

* New Orleans Hornets Brasil: a prévia do jogo

Abaixo, um vídeo do armador Greivis Vasquez, no jogo da última sexta-feira, contra o mesmo Denver Nuggets. O Hornets acertou em cheio, com a contratação desse jovem venezuelano. Curte aí:


OBS:
Contra o Dallas Mavericks, o ala-pivô mexicano Gustavo Ayon anotou os seus dois primeiros pontos na NBA. E que venham muitos outros!


 FERROADAS

* NOVO DONO?: Está rolando pela internet uma entrevista do ex-jogador do Hornets Jamal Mashburn (aliás, foi um excelente jogador), em que ele afirma que vem conversando há algum tempo com o David Stern, comissário da NBA, sobre a possibilidade de adquirir a franquia da Louisiana (vale lembrar que o Hornets pertence à NBA). Se isso acontecer, será fantástico! Após se aposentar (em 2004), o Mashburn se tornou um empresário bem sucedido, está milionário e disse que pretende investir alguns dólares nessa brincadeira de basquetebol. Ainda não há nada concreto, mas tomara que aconteça, né? Leia mais sobre esse assunto entrando no blog New Orleans Hornets Brasil!

* TWITTER: Estaremos de volta com as informações do jogo de logo mais, contra o Denver Nuggets. Se você não puder assistir à partida, é só nos seguir para saber tudo o que irá rolar, lá no Colorado. Até mais!