UMA VITÓRIA PARA O FUTURO

Chris Kaman ajuda o Hornets a derrotar o Wolves

* Por Lucas Ottoni

No fim da última semana, o New Orleans Hornets (10-31) se mandou para outro back-to-back fora de casa e obteve um resultado bastante interessante. É claro que eu não estou falando do jogo de sexta-feira (09/03), quando perdemos para o Nuggets (23-19), por 110 a 97, na altitude (1.700 metros) de Denver. Na verdade, eu estou olhando é para o jogo que aconteceu no sábado (10/03), lá em Minneapolis. Os zangões derrotaram o Minnesota Timberwolves (21-21), por 95 a 89, e conseguiram uma importante vitória, que pode até influir no futuro do time para os próximos anos. Não entendeu? Certo. Então, dá só uma olhada no parágrafo abaixo…

Como vocês sabem, o Hornets é detentor de duas escolhas de primeira rodada no próximo draft, que acontecerá no fim de junho. Uma delas, é a nossa escolha de direito (que deverá ser bem preciosa, tendo em vista a nossa campanha). E a outra, nós conseguimos na transação que enviou o Chris Paul para o Los Angeles Clippers. Acontece que essa escolha que o Clippers nos cedeu é originária do Minnesota Timberwolves. Portanto, o valor dessa escolha está intrinsecamente ligado ao desempenho do Wolves na atual temporada. Quanto mais derrotas os Lobos tiverem, maiores são as chances de essa escolha – que agora nos pertence – estar entre as primeiras na noite do draft. Então, com as duas escolhas, poderíamos selecionar dois dos jogadores mais promissores disponíveis no projeto, sacaram? O raciocínio é esse, e, por isso, os torcedores do Hornets estão bastante interessados na campanha (e no fracasso) do Wolves.

* Confira aqui o Box Score (com vídeos) da partida (contra o Timberwolves)

A vitória que arrancamos deles, no último sábado, poderá fazer uma diferença decisiva ao fim da temporada. Se o Wolves não conseguir alcançar os playoffs (hoje eles estão fora, com a 9ª colocação no Oeste), as chances de o Hornets ver as suas duas escolhas dentro do Top 10 na noite do draft aumentam substancialmente. Olhando por esse ângulo, nós vencemos uma espécie de “confronto direto” e nos ajudamos por um futuro melhor. Futuro esse que poderá vir de duas escolhas valiosas lá em junho. É por isso que a vitória em Minneapolis foi tão importante. Nós chegamos ao 10º triunfo no campeonato (nada de espetacular, mas é um número simbólico, vai) e atrapalhamos os planos dos Lobos, que estão desesperados por uma vaguinha na pós-temporada. Diante de tal fato, eu me arrisco a dizer que essa foi a vitória mais comemorada pelos fãs dos zangões (em 2012, é claro).

Kevin Love deu trabalho aos zangões

Agora, vamos ao jogo. O Hornets entrou tão ligado na partida, que parece que o treinador Monty Williams teve uma conversinha franca com os atletas, antes de a bola subir. Algo do tipo: “Prestem atenção! Essa vitória é fundamental para o nosso futuro! Entrem lá e joguem esse jogo como se  fosse o último de suas carreiras!”. Claro, eu estou exagerando, mas o fato é que os zangões atuaram focados e não tiveram os tradicionais apagões ao longo do duelo. Obviamente, a nossa equipe teve problemas para segurar o monstro Kevin Love – e o seu fiel escudeiro Nikola Pekovic – dentro do garrafão. O Love saiu de quadra com “apenas” 31 pontos e 16 rebotes, enquanto o Pekovic conseguiu “somente” 21 pontos e 11 rebotes. Já deu para perceber que os dois fizeram a festa, não é mesmo? Por outro lado, a ausência do talentoso espanhol Ricky Rubio na armação facilitou a vida dos rapazes da Louisiana. Como vocês sabem, o Rubio sofreu uma ruptura do ligamento cruzado anterior do joelho esquerdo (exatamente o mesmo problema que eu tive!) no jogo contra o Los Angeles Lakers e está fora do restante da temporada. Sem dúvida alguma, é uma notícia triste para quem gosta de basquete, mas o Hornets não tem nada com isso e pensou em seus interesses. Nós controlamos a partida (com alguma dificuldade, só para variar) e contamos com as boas aparições de Chris Kaman (sempre ele!), Jarrett Jack e Greivis Vasquez para sairmos de quadra com esse importante triunfo de 95 a 89.

No vídeo abaixo, os highlights da vitória do Hornets:

O jogo contra o Nuggets? Ok, vamos a ele. Na última sexta-feira, lá no Colorado, o fim do terceiro quarto indicava um placar de 79 a 71 a favor do time de Denver. Tudo muito bem, duelo equilibrado e indefinido. Aí nós fomos para o último período, e a partida terminou com uma tranquila vitória dos anfitriões: 110 a 97. Querem saber o que aconteceu? Tivemos um apagão no ínicio do quarto derradeiro e entregamos o jogo dentro de uma bandeja para o pivô brasileiro Nenê e seus companheiros. Foi isso o que aconteceu, resumindo tudo. E então? Alguma novidade? Algo inédito? Alguém aí está perplexo ou estarrecido? Isso nem precisa de resposta.

* Confira aqui o Box Score (com vídeos) da partida (contra o Nuggets)

Lance Thomas encara o Nuggets

OBS: Eu me vejo obrigado a terminar o post de hoje com isso! Pois isso sim, é uma novidade, é algo inédito e que nos deixa perplexos e estarrecidos! Sabem quem foi o cestinha do Hornets no jogo contra o Nuggets? Você não acertaria essa, nem que tivesse cinco tentativas! Ok, eu vou logo ao ponto: o glorioso Lance Thomas, nosso ala-pivô reserva, teve uma noite de glória lá no Colorado. Ele anotou 18 pontos e apanhou 5 rebotes. Embora nós tenhamos perdido o jogo, ele merece um destaque só para ele aqui. Até porque, nós não sabemos quando isso irá acontecer novamente. Ainda mais com esse papo de que o mundo acabará em 2012, não é? Pronto, grande Lance. Está feita a homenagem!


 FERROADAS

* HORNETS VS BOBCATS: Sim, hoje tem jogo! Daqui a pouco, os zangões voltarão à quadra. O adversário é o fraco Charlotte Bobcats, do nosso eterno grande técnico, o mestre Paul Silas (ele não merecia treinar um time tão limitado). O duelo acontecerá às 21h (de Brasília), na New Orleans Arena, e o Brazilian Hornet deve acompanhar, via Twitter. Siga o BH e fique por dentro de tudo o que acontecerá ao longo da partida.

* PARA TREINAR O INGLÊS: Eu destaquei aqui uma matéria do site NOLA.com, do jornal The Times-Picayune, em que os armadores Greivis Vasquez e Jarrett Jack explicam como é difícil a vida de um PG do Hornets. O técnico Monty Williams também entrou na conversa e emitiu a sua opinião sobre as dificuldades da equipe. O texto é assinado pelo jornalista Jimmy Smith. Vale a pena a leitura.

* MAIS UMA NOVIDADE: O pivô Jeff Foote, que estava atuando na Liga de Desenvolvimento (NBDL), assinou um contrato de 10 dias com o Hornets. Ele estreou pelos zangões na última sexta-feira, contra o Nuggets, anotando 4 pontos e apanhando 4 rebotes, em 23 minutos. Já no sábado, contra o Wolves, ele jogou apenas 5 minutinhos e pegou 1 rebote.

* OS LESIONADOS: As últimas informações que chegam do concorrido departamento médico do Hornets apontam que o ala-pivô Carl Landry deverá estar de volta ao time durante esta semana. Ele está praticamente recuperado de uma contusão no joelho esquerdo e pode até ser a surpresa do técnico Monty Williams para o jogo de logo mais, contra o Charlotte Bobcats (embora isso seja improvável). Já o pivô Emeka Okafor, também com problemas no joelho esquerdo, ainda não tem previsão de retorno. Se trocarmos o Kaman e seguirmos com o Okafor fora do time, o nosso garrafão ficará uma “beleza”. Já imaginaram?

* ESTÁ CHEGANDO A HORA!: A trade deadline (data-limite para as transações entre equipes da NBA nessa temporada) irá expirar no fim desta quinta-feira, dia 15 de março.  Então, o Hornets tem até lá para definir o futuro do pivô Chris Kaman ou de qualquer outro atleta ou negociação que esteja por baixo dos panos. Desta quinta-feira não passa, amigos! Vamos aguardar…

Anúncios

3 pensamentos sobre “UMA VITÓRIA PARA O FUTURO

  1. vitoria mto boa mesmo.. e eu acho q sem o rubio o wolves vai cair d+ e isso é otimo pra nois

    e esse lance thomas é bem mediano. ele naum pode ser o lider de pontuaçao do nosso time. isso nao existe luke

    akele abçoooooooo

  2. Fala, grande Bruno. Sim, eu fico triste pelo Rubio. Ligamento do joelho é uma coisa braba, e eu sei bem disso. Há pouco mais de 1 mês, eu passei por uma cirurgia para reparação do ligamento, pois tive um problema idêntico ao do espanhol. E a recuperação é demorada. Força para ele.

    Mas, por outro lado, a notícia acaba sendo boa para o Hornets. Sem o Rubio, o Wolves perde força e deve perder alguns jogos a mais, o que é ainda melhor para nós. Faz parte da brincadeira, né?

    Quanto ao Lance Thomas, eu acho que você foi até generoso com ele o chamando de mediano… rsrsrs… É um jogador bem limitado, mas esforçado. Vamos torcer para que ele consiga evoluir um pouquinho e se tornar uma peça útil para o nosso banco de reservas. O jogo contra o Nuggets foi uma exceção, temos que reconhecer.

    Abço!

  3. Pingback: DEZ JOGOS PARA O FIM | Brazilian Hornet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s