DO QUASE CÉU AO QUASE INFERNO

Lembra do Aaron Gray? Não deixou a menor saudade

* Por Lucas Ottoni

Mais um back-to-back, e mais duas derrotas. A semana pós-All-Star Weekend não começou bem para o New Orleans Hornets (8-27). Os zangões foram até Chicago – na última terça-feira (28/02) – e perderam para o Bulls (29-8), por 99 a 95. Um dia depois, o time retornou a New Orleans e viu o Toronto Raptors (11-24) sair de quadra com a vitória: 95 a 84. Foram dois resultados ruins, embora o Hornets tenha se apresentado de formas distintas nessas duas partidas. Contra o forte Bulls, a equipe quase chegou ao céu, com uma atuação sólida e convincente. Já contra o Raptors, a exibição foi muito fraca. Quase o inferno. Uma das piores partidas da franquia da Louisiana na temporada 2011-12. Enfim, em um dia quase agarramos as nuvens. Já no outro, flertamos com o capiroto. Coisas da NBA. Coisas do Hornets. Mas vamos falar rapidamente sobre essas duas partidas:

Ayon não conseguiu parar Derrick Rose

No jogo da última terça-feira, lá no United Center, em Chicago, o Hornets se aproveitou do fato de o Bulls não estar em uma de suas melhores noites. Os donos da casa erravam demais no ataque e não conseguiam parar as jogadas de Chris Kaman e Trevor Ariza. O pivô alemão saiu de quadra com um duplo-duplo: 17 pontos e 11 rebotes. Já o ala de origem dominicana meteu 16 pontos e apanhou 8 rebotes. Com o banco de reservas funcionando bem (Jarrett Jack, Solomon Jones e Xavier Henry combinaram 32 pontos), os zangões equilibraram a partida o tempo todo e chegaram a estar muito próximos da vitória. Aliás, o triunfo só não veio por que o Bulls tem um armador genial chamado Derrick Rose: 32 pontos e 9 assistências, em 40 minutos. Rose – que é quem melhor infiltra em toda a NBA (minha opinião) – desequilibrou o duelo no segundo tempo e não permitiu que o Hornets aprontasse em Chicago. E foi exatamente por isso que perdemos. Por causa de Derrick Rose. A nossa equipe fez uma excelente partida, soube explorar os erros dos anfitriões e quase arrancou um belo resultado. Fim de jogo: 99 a 95 para o Bulls. Os favoritos venceram, mas tomaram aquele sufoco!

* Confira aqui o Box Score (com vídeos) da partida (contra o Bulls)

DeRozan leva vantagem sobre Belinelli

Na noite seguinte, o Hornets, enfim, voltou para casa após seis partidas na estrada. O jogo – vocês já sabem – foi contra o limitado Toronto Raptors, do brasileiro Leandro Barbosa. Após a boa exibição diante do poderoso Bulls, eu esperava que o nosso time passasse por cima do rival canadense, sem maiores problemas. No entanto, lá estava o Hornets para nos pregar uma peça daquelas. Jogando muito mal (sobretudo no último período), a equipe da Louisiana viu o ala reserva do Raptors, o lituano Linas Kleiza, fazer a festa da linha dos três pontos (5-7) e cravar 21 tentos (mesma pontuação do jovem ala-armador DeMar DeRozan). Individualmente, alguns caras nossos até que apareceram bem, como o pivô Chris Kaman (outro duplo-duplo, com 17 pontos e 10 rebotes) e o ala-armador Marco Belinelli (20 pontos). Contudo, coletivamente o Hornets apresentou um basquete sem um pingo de inspiração. Com Greivis Vasquez apagado e Jarrett Jack errando bastante no ataque, a criação das jogadas ficou totalmente comprometida, e os jogadores do banco de reservas também foram mal e não repetiram o bom desempenho da noite anterior. O último período foi um desastre, o Hornets levou uma surra de 33 a 15 e acabou perdendo o confronto por 95 a 84. Como eu disse antes, não fossem algumas boas aparições individuais, a noite teria sido infernal. Ah, o Leandrinho ficou em quadra por praticamente 23 minutos e saiu com 15 pontos.

* Confira aqui o Box Score (com vídeos) da partida (contra o Raptors)

Independente dos altos e baixos, o fato é que o Hornets acumulou mais duas derrotas nessa brincadeira e já começa a olhar para o draft de 2012 de maneira bastante especial, é preciso admitir. Eu continuo com a mesma opinião que tinha há alguns meses: nosso time não é tão ruim e, completo, poderia fazer uma campanha muitíssimo melhor. Daria até para sonhar com playoffs, sendo otimista. No entanto, a inexperiência do elenco e as diversas lesões em jogadores importantes arrasaram com a nossa caminhada. Isso faz parte e pode acontecer com qualquer time. E que essa temporada sirva para que possamos entrar mais fortes na próxima. Com o novo proprietário que está por vir, não há motivos para pessimismo. O jeito é seguir jogando e se preparando para um futuro promissor. É isso o que eu penso.

No vídeo abaixo, os highlights do duelo entre Hornets e Bulls:

E hoje já começa outro back-t0-back para o Hornets. O time voltará à quadra logo mais, às 22h (de Brasília). O adversário é o Dallas Mavericks, e o duelo acontecerá na New Orleans Arena. Amanhã, também na Colmeia, os zangões enfrentarão o Indiana Pacers, também às 22h (de Brasília). Ah, o Brazilian Hornet deve acompanhar o jogão contra os meninos do tio Mark Cuban, via Twitter. Siga o BH e fique por dentro de tudo o que acontecerá ao longo da partida.

* New Orleans Hornets Brasil: a prévia do jogo (contra o Mavs)

Na contagem regressiva por um novo dono! 10, 9, 8…

 
 FERROADAS

* PROVÁVEL DESFALQUE: Com febre e mal-estar, o ala Trevor Ariza não deverá estar em quadra, daqui a pouco, contra o Dallas Mavericks. A ausência será bastante sentida, pois ele vem sendo um dos jogadores mais eficientes do Hornets nos últimos jogos. Dessa forma, o jovem Al-Farouq Aminu deverá herdar a vaga de Ariza. Apertem os cintos…

* RESULTADO DA ENQUETE: Há dois posts, nós abrimos uma votação sobre qual jogador nosso o torcedor do Hornets gostaria de ver no All-Star Weekend que acabou de acabar. Até o momento, tivemos 34 votos e um grande equilíbrio. Eric Gordon (Jogo das Estrelas) e Gustavo Ayon (Jogo dos Calouros) lideram, com 8 votos cada (23.53%). Logo depois, com 7 votos (20.59%), temos Marco Belinelli (Torneio de três pontos) e Greivis Vasquez (Desafio de habilidades). Trevor Ariza (Concurso de enterradas) teve 3 votos (8.82%), e a opção Outro jogador contabilizou apenas 1 voto (2.94%). A enquete continua aberta para quem quiser votar. É só clicar aqui e mandar ver!

* FORA DOS PLANOS: O armador Donald Sloan, que havia assinado um contrato de dez dias com o Hornets, não faz mais parte do elenco. A franquia da Louisiana não renovou o contrato do atleta, que está oficialmente dispensado. Boa sorte para ele em uma próxima oportunidade.

6 pensamentos sobre “DO QUASE CÉU AO QUASE INFERNO

  1. Time nao ta bem, e joga sem o segundo principal jogador no momento, Ariza, ae complica…
    Dallas pode se dar ao luxo, de deixar o Nowitzki descansar… ele é duvida, mas nem precisa ir a quadra
    Nao assistirei hj…. boa sorte pra quem fica, e um conselho…. com Aminu de Starter, tomem mt suco de maracuja, pra ficarm calmos, hahahaha

    Go Hornets

    • Hahahaha… Esse conselho é ótimo, Kaio. O Aminu ainda tem muito o que aprender na NBA. E eu tenho sérias dúvidas quanto ao sucesso da evolução dele. Isso é que é o mais preocupante.

      Mas, de qualquer forma, eu já separei os maracujás, o liquidificador e o coador. Vai que precise… rsrsrs

      Abços!

  2. o jogo contra o raptors foi horrivel mesmo. eu vi e nao gostei. mas ganhamos do mavericks ontem, luke. ese time do hornets adora pregarpeças na gente.

    e esse kaman vem jogando uma barbaridade, guri!!

    vamos trocar ele memo?? hehehe

    abrç!

    • Fala, grande Bruno. É verdade. O Hornets vem mostrando altos e baixos, mas está sendo um time bem melhor de fevereiro para cá. A vitória sobre o Mavs foi ótima, e ainda teremos um post sobre ela aqui.

      Quanto ao Kaman, eu já escrevi sobre isso. Vamos trocá-lo por quem, ou pelo quê? É um pivô de duplo-duplo. Será fácil acharmos outro? O Hornets deveria pesar essa situação. Mas a questão é que o Kaman não deve estender o contrato dele com a gente, nem que o Hornets queira. Aí o jeito é trocar. Para mim, o Hornets não conduziu bem o caso dele, ao afastá-lo do elenco para negociá-lo. Faltou habilidade no trato com o jogador. Mas eu estou curioso para saber o desfecho dessa história. De 15 de março (trade deadline) não passa. rs

      Abços!

  3. maior besteira q os hornets irão fazer se trocar o chris kaman. o cara é muito bom. ótimo pivô, como poucos na liga. e o time do bulls não é tudo isso. nos playoffs eles vao sentir a pressão. abs.

    • Olá, Felipe. Eu também acho que o Hornets não deveria trocar o Kaman. Mas, pelo visto, agora é tarde demais. Veremos o que a franquia conseguirá em troca desse excelente pivô.

      Quanto ao Bulls, eu acho que eles possuem um belo time. No entanto, não acredito que superem o Miami Heat. Aliás, acho que esses dois farão – novamente – a final do Leste. E acho que vai dar Miami novamente.

      Abços!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s