UMA SEMANA DE DERROTAS

Jarrett Jack parece meio perdidão, diante da forte marcação do Chicago Bulls

* Por Lucas Ottoni

Olá, amigos. Eu sei que a paralisação forçada do Brazilian Hornet durou mais que o esperado, mas é que cirurgia no joelho é uma coisa chata, muito chata. Os primeiros dias do período pós-cirúrgico são extremamente complicados. Até para tomar um simples banho é preciso um esforço enorme. E tem a fisioterapia, os remédios, as posições para sentar e dormir, etc, etc, etc. Devido a toda essa situação, o blog ficou meio às moscas por mais de uma semana. Peço sinceras desculpas ao pessoal que sempre vem aqui à procura de novos posts e informações sobre o New Orleans Hornets. Contudo, aos poucos, nós estaremos voltando à nossa rotina normal. E por falar em rotina, os zangões seguem tomando traulitadas na temporada 2011-12 da NBA. Desde que o BH deu essa parada, o nosso time jogou cinco partidas e perdeu todas elas. Como não dá para falar sobre cada um desses jogos, eu vou analisar de uma maneira geral esse momento terrível pelo qual passa a franquia da Louisiana.

Com as cinco últimas derrotas (já são sete consecutivas), o Hornets segue isoladíssimo na lanterna da forte Conferência Oeste. A campanha 4-22 é absolutamente trágica para uma equipe que iniciou a temporada com duas vitórias e depois desaprendeu a ganhar jogos. Muitos fatores levaram a esse panorama que observamos hoje. A inexperiência de alguns jogadores, a falta de entrosamento, as limitações técnicas, as contusões (alô, Eric Gordon! Como vai você?), alguns equívocos do treinador, a ausência de um proprietário para a franquia, e por aí vai. São coisas que já estamos cansados de saber. A conclusão de tudo isso (embora seja duro admitir) parece ser bem clara: nossa temporada foi para o ralo, para o beleléu. O momento é de esquecer os playoffs (chance zero) e aproveitar os jogos para colocar a molecada em quadra e desenvolver os nossos talentos em potencial (com destaque para os latinos Gustavo Ayon e Greivis Vasquez). Pelo menos, é o que eu penso. Acho que esse tem que ser o foco, a partir de agora.

Jason Smith, na derrota para o Pistons

Eu sei também que muita gente vai me cobrar uma posição em relação ao draft de 2012. Eu fui um dos que defendiam que o Hornets precisava dar o máximo nos jogos e buscar os playoffs, vocês sabem. No entanto, do jeito que as coisas caminham (muito mal), diante de todos esses acontecimentos (dentro e fora de quadra), fica impossível não pensar em nomes valiosos, como Anthony Davis, Harrison Barnes, Michael Kidd-Gilchrist, Jeremy Lamb, Jared Sullinger, Andre Drummond, etc. Eu não pretendo discorrer sobre esses moleques talentosos agora, mas confesso que já enxergo todos eles com bonés do Hornets no próximo draft, lá em junho. E isso, infelizmente, acabou acontecendo mais cedo do que eu pensava. Afinal, ainda estamos no início de fevereiro. Mas, com o que temos visto em quadra, fica simplesmente impossível ignorar essa possibilidade do draft. Impossível.

Na noite em que eu fui para o hospital, madrugada do dia 01 para o dia 02 de fevereiro, o Hornets levou um 120 a 103 do Phoenix Suns, em plena New Orleans Arena. Um dia depois, derrota no Texas para o San Antonio Spurs, que fez 93 a 81. No dia 04, em Michigan, foi o Detroit Pistons quem nos superou, por apenas dois pontinhos: 89 a 87. Voltando para casa, mais dois tropeços: 100 a 92, para o Sacramento Kings, e o último, ontem, uma surra sofrida para o forte Chicago Bulls: 90 a 67. Péssimos resultados, sem a menor sombra de dúvida. Durante esse período, a equipe penou com novos problemas de contusão (Jarrett Jack, Jason Smith e Carl Landry), trouxe o pivô Chris Kaman e o ala-pivô Lance Thomas de volta, dispensou o armador Carldell “Squeaky” Johnson e o ala DaJuan Summers e contratou (por dez dias) o armador Donald Sloan, ex-Atlanta Hawks. Quer dizer, muitas mexidas, muitas indefinições e nenhuma excelente notícia (embora o Kaman seja um bom jogador). Dá para entender, então, o porquê dessas derrotas, não é mesmo?

* Facebook: clique aqui e adicione o Brazilian Hornet!

Se tivemos algo de bom nesses últimos jogos, ele atende pelo nome de Greivis Vasquez. O armador venezuelano tem jogado bem e vem mostrando evolução a cada partida. Embora tenha dificuldades defensivas, o seu talento é inegável. Gosto bastante desse jogador, e acho que encontramos um PG reserva interessante para os próximos anos. No vídeo abaixo, confiram alguns belos lances do Vasquez, em um jogo da semana passada, contra o Phoenix Suns:

Ah, e amanhã (10/02) o Hornets voltará à quadra. Jogo difícil, diante do Portland Trail Blazers, na New Orleans Arena. A bola subirá às 23h (de Brasília), e não acompanharemos pelo Twitter. Fica para a próxima.

* New Orleans Hornets Brasil: a prévia do jogo

OBS: As votações para os quintetos do All-Star Game foram encerradas, e o Hornets não teve representantes escolhidos para o evento. Os técnicos ainda irão definir os reservas, mas eu não acredito que tenhamos algum jogador nosso selecionado. Paciência.

Vou terminar este post por aqui. Hoje não teremos a sessão Ferroadas, pois não há nada muito relevante para se destacar. Dizer que o Eric Gordon permanece no estaleiro não chega a ser novidade para ninguém, não é mesmo? Pois é…

6 pensamentos sobre “UMA SEMANA DE DERROTAS

  1. opaaa. o blog voltou!! legal!

    a fase é tenebrosa mesmo, luke. o time nao consegue vencer. falta qualidade. mas vamos melhorarr

    e esse video do vasquez é show.. ele é bom jogador mesmo

  2. Obrigado, Bruno. É bom estar de volta sim.

    A fase é ruim demais mesmo. Acho que temos que aproveitar agora para colocar os jovens em quadra. Não há momento melhor que esse.

    E eu também gosto muito do jogo do Vasquez. É o jogador do Hornets que eu tenho gostado mais de assistir.

    Abço!

  3. Boas, Lucas, espero que esteja tudo bem por aí.

    Quanto à semana dos Hornets, foi má demais em todos os capítulos. Salve-se alguns jogos do Vasquez, o resto foi zero. Está dificil acompanhar os jogos dos Hornets, pois facilmente levamos parciais impossiveis (estar a ganhar aos Kings por 18 e perder não é para todos ou marcar 2 pontos aos Bulls quando eles já têm 9 e essa ser a diferença mais pequena no jogo… enfim)…

    Uma coisa é certa, o último/penultimo lugar parece estar garantido… esperemos que os Wolves venham por aí abaixo.

  4. Olá, grande Sergio. Está tudo bem sim, obrigado.

    Eu assisti a quase todos esses jogos e confesso que o resultado que mais me aborreceu foi, realmente, a derrota para o Kings. Entregamos o jogo no último quarto (só para variar).

    Estamos caminhando para pensar em draft mesmo, pensar na próxima temporada. Temos que aproveitar agora para desenvolver os nossos jovens: Vasquez, Henry, Ayon, Aminu, Smith, etc.

    Abço!

    • Fala, grande Kaio.

      Sobre o dono, isso é certo. Precisamos urgentemente de um proprietário para a franquia. O problema é: quem e quando?

      Sobre essa situação de sair de New Orleans, eu ainda vou escrever aqui no blog. Não é tão simples assim.

      Abço!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s