PACIÊNCIA: A PALAVRA DA VEZ

O belo uniforme do Greivis Vasquez foi o que tivemos de bom, em Dallas

* Por Lucas Ottoni

Primeiramente, eu gostaria de me desculpar com o pessoal que acompanha o Brazilian Hornet. A intenção era atualizar o blog neste último domingo (08/01), mas não foi possível. Compromissos importantes surgiram e me impossibilitaram de escrever. Coisas que acontecem, não é mesmo? Aliás, nem há muito o que falar nesse momento. O New Orleans Hornets perdeu mais dois jogos e já está com uma sequência terrível de seis derrotas na temporada 2011-12 da NBA. Dessa forma, os zangões dividem a lanterna da Conferência Oeste com Houston Rockets e Golden State Warriors, todos com 2-6. Nosso time começou vencendo (surpreendentemente) as duas primeiras partidas do campeonato, e tudo parecia fantástico. No entanto, a NBA não perdoa certas situações: desentrosamento, inexperiência, lesões de jogadores importantes, erros infantis, apagões em momentos cruciais, etc. O Hornets começou a sofrer com tudo isso de uma vez só, as limitações do elenco não tardaram a surgir, e os resultados positivos sumiram do mapa. O momento é de transição, de reconstrução. A palavra da vez, em New Orleans, chama-se PACIÊNCIA.

No nosso segundo back-to-back, contra Denver Nuggets (na sexta-feira) e Dallas Mavericks (no sábado para domingo), o que se viu foi um time que parece não saber como ganhar seus jogos. Vou falar, rapidamente, sobre cada partida:

Carl Landry, na derrota para o Nuggets

Contra a boa equipe do Nuggets, na última sexta-feira (06/01), na New Orleans Arena, o Hornets já entrou em quadra prejudicado pela ausência de dois titulares: Eric Gordon e Trevor Ariza, ambos lesionados. A partir daí, muitos poderiam achar que os zangões seriam dominados do começo ao fim, mas não foi isso o que aconteceu. O time liderou a partida até o início do último quarto, quando, em outro apagão terrível, cedeu ao Denver uma inacreditável corrida de 19 a 0 no placar. Não há como resistir a isso! Mais uma vez faltou malandragem, experiência, marcação, tranquilidade e uma boa dose de sorte também. O resultado não poderia ser outro: vitória dos visitantes, por 96 a 88.

* Confira aqui o Box Score (com vídeos) da partida (contra o Nuggets)

* Veja o pós-jogo do blog New Orleans Hornets Brasil

Um dia depois, na madrugada (de Brasília) de sábado para domingo (08/01), o Hornets foi até o American Airlines Center, no Texas, para enfrentar o atual campeão da NBA, o Dallas Mavericks. A equipe de Dallas nem vive um momento assim tão bom, mas não teve muitos problemas para decretar a sexta derrota consecutiva dos zangões. Errando demais, o time de New Orleans se viu atrás no placar durante toda a partida. Foram 21 TO, no total! É muita coisa! Além disso, Eric Gordon, Trevor Ariza e Jason Smith (com problemas familiares) também não jogaram. Isso abriu espaço para atletas menos experientes, como Carldell Johnson, Al-Farouq Aminu (que até fez boa partida) e Gustavo Ayon. É importante colocar esses jogadores em quadra, para que eles possam adquirir experiência jogando, e o técnico Monty Williams está correto ao fazer isso. Contudo, ele sabe que o preço a ser pago pode ser alto, como vem sendo. Os desfalques importantes e inúmeros erros em quadra acabaram sendo decisivos. Muito mais experiente, e com jogadores do quilate de um Dirk Nowitzki e de um Jason Terry, o Mavericks dominou o duelo inteiro e saiu de quadra com uma vitória tranquila: 96 a 81.

* Confira aqui o Box Score (com vídeos) da partida (contra o Mavs)

* Veja o pós-jogo do blog New Orleans Hornets Brasil

Ofensivamente, o Hornets vem apresentando graves problemas. Sem Eric Gordon, o time não possui um shooter confiável. Além disso, falta um armador mais cerebral, que controle o jogo e tranquilize a equipe nos momentos críticos das partidas. Jarrett Jack não é esse jogador. E, no garrafão, os zangões sofrem com as limitações de Emeka Okafor no ataque. Como consequência, a franquia da Louisiana possui um dos piores aproveitamentos ofensivos de todo o campeonato. Trabalho para Monty Williams…

Na defesa, os zangões permitiram mais de 100 pontos ao adversário, em apenas uma das oito partidas disputadas até o momento. Esse fato aconteceu na derrota de 101 a 93 para o Philadelphia 76ers, na última quarta-feira. Isso é um bom sinal, a filosofia defensiva implantada na equipe vem dando resultados. Entretanto, o desempenho terrível do nosso ataque está comprometendo todos os nossos esforços defensivos. Afinal, de nada adianta você tomar 80 pontos e fazer 79, não é mesmo?

O jovem Al-Farouq Aminu escapa do experiente Vince Carter, do Dallas Mavericks

Além disso, os inúmeros erros de passes, faltas ofensivas e arremessos equivocados que podemos observar a cada partida do Hornets mostram uma equipe que ainda não encontrou o entrosamento ideal e a maturidade para vencer muitos jogos na NBA. Diante desse panorama, o que eu posso dizer? Para o Monty Williams e os jogadores, trabalho. Para nós, torcedores, paciência. Muita paciência.

Ah, e daqui a pouco tem mais! O Hornets voltará à quadra para enfrentar o Denver Nuggets, à meia-noite (de Brasília) desta segunda para terça-feira (10/01), no Pepsi Center, em Denver. Mais um jogo complicadíssimo para os zangões. Já é hora de pensar em draft? Acho que não. Vamos dar tempo ao tempo…

* New Orleans Hornets Brasil: a prévia do jogo

Abaixo, um vídeo do armador Greivis Vasquez, no jogo da última sexta-feira, contra o mesmo Denver Nuggets. O Hornets acertou em cheio, com a contratação desse jovem venezuelano. Curte aí:


OBS:
Contra o Dallas Mavericks, o ala-pivô mexicano Gustavo Ayon anotou os seus dois primeiros pontos na NBA. E que venham muitos outros!


 FERROADAS

* NOVO DONO?: Está rolando pela internet uma entrevista do ex-jogador do Hornets Jamal Mashburn (aliás, foi um excelente jogador), em que ele afirma que vem conversando há algum tempo com o David Stern, comissário da NBA, sobre a possibilidade de adquirir a franquia da Louisiana (vale lembrar que o Hornets pertence à NBA). Se isso acontecer, será fantástico! Após se aposentar (em 2004), o Mashburn se tornou um empresário bem sucedido, está milionário e disse que pretende investir alguns dólares nessa brincadeira de basquetebol. Ainda não há nada concreto, mas tomara que aconteça, né? Leia mais sobre esse assunto entrando no blog New Orleans Hornets Brasil!

* TWITTER: Estaremos de volta com as informações do jogo de logo mais, contra o Denver Nuggets. Se você não puder assistir à partida, é só nos seguir para saber tudo o que irá rolar, lá no Colorado. Até mais!

Anúncios

7 pensamentos sobre “PACIÊNCIA: A PALAVRA DA VEZ

    • Eu acho que ainda é cedo para pensarmos em draft. Restam muitas partidas a serem disputadas. Com uma sequência de três vitórias (por mais improvável que isso seja), poderemos voltar ao páreo.

      Quanto ao novo dono, concordo plenamente. Precisamos de um, e com urgência! Que seja o Mashburn ou qualquer outro que possa investir na franquia. Isso é fundamental.

      Aquele abraço, Rafa!

  1. Belo Post Lucas…
    Mais 2 derrotas, time apaga no final do jogo, complicado
    Nao mais bravo, pq temos o Draft, e nao acredito q a pick do Wolves sera tao valiosa qt axavamos antes.

    Lado posito, foi a grande partida do Aminu em Dallas, errou menos, pontuou mais, meteu bola de 3(2 vezes), infiltrou, marcou bem, roubou bolas… É isso ae, tem q dar mais minutos pra ele eo Vasquez, pra eles continuarem evoluindo… temos um time jovem, e se Deus quiser mt futuro

    Vamos nos garantir no Draft ano q vem… e se Deus quiser, antes do Draft ja teremos um dono, q investira na OffSeason

    • Pois é, Kaio… O momento é de dar mais rodagem a esses jogadores jovens. O Aminu foi bem contra o Dallas. Agora, ele precisa manter isso. E o Vasquez é um jogador que eu acho que vai vingar com a camiseta dos zangões. Eu também concordo que ele precisa ter mais tempo para evoluir e mostrar suas qualidades.

      Quanto ao dono, é o que eu disse para o Rafa. Precisamos de um, e o mais rápido possível. Só assim, a franquia terá o mínimo de estabilidade, e todos poderão trabalhar com muito mais segurança.

      Abraço!

  2. “O time liderou a partida até o início do último quarto, quando, em outro apagão terrível, cedeu ao Denver uma inacreditável corrida de 19 a 0 no placar. Não há como resistir a isso! Mais uma vez faltou malandragem, experiência, marcação, tranquilidade e uma boa dose de sorte também. ”

    É isso mesmo…do nada, a defesa “invejada” por muitos times desaparece; o ataque comete erros primários e a relutância e deixar jogadores bizarros em quadra por muito tempo estão acabando com o time….o jeito é esperar a próxima temporada mesmo. Ainda bem que essa é pequena…hehe

    • Concordo que o time tem cometido muitos erros. Mais do que deveria. Entregamos algumas partidas de forma inacreditável e poderíamos estar com uma campanha bem melhor nesse início de temporada. Talvez, um 4-4. Não seria nenhum absurdo.

      Estamos todos apostando no draft 2012, eu entendo. Mas ainda restam 58 jogos a serem disputados nessa temporada. Tem muita coisa para acontecer. Prefiro esperar um pouco mais antes de me render a esse “Projeto draft”… rs

      Abraço, Ricardo!

  3. Pingback: UM POUCO DE INSPIRAÇÃO | Brazilian Hornet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s