RECOMEÇO EM NEW ORLEANS

Monty Williams e Carl Landry trabalharão juntos novamente

* Por Lucas Ottoni

Nos últimos dias, o assunto que tomou conta da nossa atenção foi, sem dúvida, o comércio do Chris Paul. Veto, negociações, críticas, pressões, desistências e, enfim, o acordo com o Los Angeles Clippers. Eu confesso que fiquei tão preocupado com isso, que acabei não dando a devida importância ao time do New Orleans Hornets, que se apresentou e vem treinando há praticamente uma semana no Alario Center. Até o técnico do nosso time, o promissor Monty Williams, foi pouquíssimo citado aqui no Brazilian Hornet. Ah, mas isso vai mudar! A equipe da Louisiana faz hoje, às 23h (de Brasília), a sua estreia na pré-temporada, contra o perigoso Memphis Grizzlies. O jogo acontecerá no  FedExForum, em Memphis, e promete ser um primeiro teste bem difícil para o novo elenco dos zangões. Aliás, falemos sobre esse novo elenco e a possibilidade de recomeçarmos bem:

– Jogadores que já estavam sob contrato, como Trevor Ariza, Emeka Okafor, Quincy Pondexter e Jarrett Jack, se apresentaram normalmente ao técnico Monty Williams.

– Como havia um déficit de atletas para o início dos treinos, o GM Dell Demps acertou com nove agentes livres, todos em observação: Brian Butch (que acabou se contundindo durante os trabalhos), Justin Dentmon, Jerome Dyson, Moses Ehambe, Carldell Johnson, Trey Johnson, DaJuan Summers (que também se contundiu), Lance Thomas e Terrico White.

– O ala-armador italiano Marco Belinelli aceitou a oferta qualificatória de U$ 3,4 milhões e vai cumprir seu último ano de contrato com o Hornets.

Marco Belinelli voltará a vestir uma camiseta do New Orleans Hornets

– Outro que retorna é o ala-pivô Carl Landry. O atleta assinou um contrato válido por uma temporada e vai receber U$ 8,75 milhões.

–  Jogadores como Willie Green, Jason Smith e DJ Mbenga, que fizeram parte da rotação do time na última temporada, ainda estão com suas situações indefinidas. Dos três, Smith parece ser o que possui mais chances de retornar.

– Eric Gordon, Al-Farouq Aminu e Chris Kaman, todos envolvidos no negócio que mandou Chris Paul ao Clippers, já estão de mudança para New Orleans e, em breve, ficarão à disposição do técnico Monty Williams.

* Confira aqui os salários dos jogadores do New Orleans Hornets

Enfim, é isso. Até o momento, esse é o panorama atual do elenco do Hornets. Salvo alguma nova troca ou contratação, o time para o início da temporada está aí. Sobre o quinteto inicial, creio que não há muito o que pensar. A não ser que o Monty Williams nos prepare alguma surpresa, os titulares devem ser:

PG: Jarrett Jack
SG: Eric Gordon
SF: Trevor Ariza
PF: Carl Landry
C: Emeka Okafor (Chris Kaman)

É um bom quinteto. Com uma dose de sorte, dá até para pensar em playoffs. Talvez, não mais que isso. O importante é que o Hornets perdeu suas duas estrelas (Chris Paul e David West), mas encontrou um time para recomeçar. Ainda é importante lembrar que a franquia da Louisiana possui duas escolhas de primeiro round para o próximo draft (a sua própria e a que conseguiu na troca envolvendo o CP3), e isso abre uma boa perspectiva quanto ao futuro da equipe. Viu como nem tudo é pavor e escuridão?

Eric Gordon, Chris Kaman e Al-Farouq Aminu: os três estreantes no Hornets

Falemos agora sobre as novidades do elenco para a temporada 2011-12. As aquisições do ala-armador Eric Gordon, do ala Al-Farouq Aminu e do pivô Chris Kaman, todos ex-Clippers, podem ser muito interessantes para o Hornets. Vou pegar emprestados alguns trechos do blog Bola Presa falando sobre esses três jogadores. Concordo em absolutamente tudo e, por isso, transcrevo aqui:

Eric Gordon fez uma temporada muito boa ano passado, com 23 pontos e 4.4 assistências de média e um jogo muito mais completo do que qualquer um imaginava dele. Aquele simples (e eficiente) arremessador de longa distância passou a driblar, infiltrar e até a dar umas enterradas monstruosas. Ele tem apenas 23 anos e já flerta com uma qualidade de jogo que pode levá-lo à condição de estrela na NBA. Na pior das hipóteses será “apenas” um excelente pontuador. BH: Animador, não é?

Junto dele vêm outro promissor jogador, Al-Farouq Aminu, que no seu primeiro ano de NBA na última temporada foi discreto, mas longe de ser um fracasso. Pecou mais pela falta de consistência do que de talento. É mais um clássico jogador que foi muito cedo jogar entre os profissionais mas ainda pode dar certo. Ironicamente o seu melhor jogo foi contra o Hornets, quando fez 20 pontos, 8 rebotes e 2 roubos em 29 minutos. Aminu tem apenas 21 anos. BH: Pois é. Nós já sentimos na pele a qualidade desse jovem atleta.

O mais velho da troca é Chris Kaman, de 29, curiosamente menos do que Luis Scola, Lamar Odom e a mesma idade de Kevin Martin, os três que o Hornets receberia naquela troca vetada com o Lakers. Kaman tem sofrido com contusões ao longo de sua carreira, mas quando joga é um dos melhores pivôs ofensivos de toda a NBA. Caso eles queiram investir apenas na garotada, podem conseguir uma troca para Kaman num futuro próximo. O seu salário é alto, mas vimos nessa offseason como a maioria dos times não liga de pagar muito alto por pivôs apenas razoáveis, que dirá de um que sabe jogar basquete. E caso queiram ficar com ele, não seria absurdo. Jogadores técnicos como Kaman costumam render bem durante muitos anos, é só as contusões não voltarem. BH: Finalmente, poderemos ter mais poder de fogo embaixo da cesta. Ou, então, a garantia de uma troca interessante.

E então? Viram como o quadro não parece ser tão ruim? Há vida sem Chris Paul, meus amigos! O Hornets tem um time, e isso é o mais importante nesse momento. Claro, ainda falta muita coisa para que possamos nos tornar efetivos concorrentes a um título da NBA. Precisamos de um dono (isso é o primordial) e de mais estabilidade para a franquia em New Orleans (a participação do público local se faz indispensável). Esses são os primeiros passos. Uma dose de otimismo também ajuda. E eu sou um eterno otimista. Vamos seguir em frente, que vem coisa boa por aí!

O que a cabeça do Willie Green faz aí? Eu queria falar sobre otimismo da torcida…

OBS 1: A sigla BH que eu usei neste post não quer dizer Belo Horizonte, hein! Se liga! BH é Brazilian Hornet, a graça deste blog.

OBS 2: A montagem com os três novos reforços do Hornets, eu peguei emprestada do blog New Orleans Hornets Brasil . Aliás, eles também fizeram uma prévia do jogo de hoje.


 FERROADAS

* MAIS DO MESMO: A pré-temporada do Hornets terá apenas duas partidas, ambas contra o Memphis Grizzlies. A primeira, vocês já sabem, rola hoje, em Memphis. E a segunda (e última) acontecerá em New Orleans, na próxima quarta-feira, dia 21.

Anúncios

Um pensamento sobre “RECOMEÇO EM NEW ORLEANS

  1. Pingback: ESTREIA VITORIOSA NO TENNESSEE | Brazilian Hornet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s