FATO OU MERA COINCIDÊNCIA?

Sem Anthony Davis por perto, o Robin Lopez quase tomou um “tocaço” do Lin

* Por Lucas Ottoni

O feriado acabou, mas nós voltaremos até a última sexta-feira (12/10) para falarmos sobre a primeira derrota do New Orleans Hornets na pré-temporada 2012 da NBA. Os zangões foram ao Texas e realizaram uma partida repleta de erros. Resultado: vitória do Houston Rockets de Jeremy Lin, por 95 a 75. Essa diferença de 20 pontos no placar pode ser fruto do péssimo 2º tempo apresentado pelo time da Louisiana, como também pode indicar o quão ruim nós fomos nos arremessos de quadra. Anotem e pasmem: 28-83 em FG, um aproveitamento canhestro de apenas 33.7%. Querem saber como os atletas do Hornets se saíram nos “chutes” de três pontos? Pois não: 8-30 (26.7%). Tais números falam por si só, e eu poderia terminar o post por aqui. Afinal, todos já entenderam que a derrota lá em Houston não aconteceu por obra do acaso. Contudo, é necessário salientar que o Hornets atuou sem um dos principais responsáveis pela (até então) campanha invicta da equipe – agora nós somos 3-1. O nome dele está logo aí, no parágrafo abaixo…

Anthony Davis, o nosso talentoso “monocelha”. Ele sentiu um incômodo na região da virilha e acabou poupado pelo técnico Monty Williams. Mas vamos fazer o seguinte? Deixemos o Davis para o fim do post, ok? Eu quero falar rapidamente sobre o duelo com o Rockets e a tunda que levamos:

Brian Roberts ficou entre os reservas

Diferentemente do que havia acontecido diante do Charlotte Bobcats (aqui e aqui), dessa vez o jogo do New Orleans Hornets foi transmitido. Satisfeito, eu logo reparei no nosso quinteto inicial, mais uma vez modificado pelo “coach” Monty Williams: Austin Rivers, Greivis Vasquez, Al-Farouq Aminu, Ryan Anderson e Robin Lopez. O filho do Doc começou a partida como PG, e o Vasquez passou para a posição 2. Aminu manteve-se na ala, com o Anderson substituindo o Anthony Davis no garrafão e fazendo dupla com o Lopez. Os zangões até que não foram tão mal e perderam o 1º quarto por apenas 4 pontinhos (20 a 24). No 2º período, os reservas entraram e mantiveram o nível. Sendo assim, o Rockets foi para o intevalo vencendo por 48 a 41. E é agora que começam os problemas…

O Hornets voltou muitíssimo mal para o 3º quarto, errando demais no ataque e permitindo pontos fáceis ao time texano. As mexidas do técnico Monty Williams não deram certo, o armador reserva Brian Roberts não brilhou dessa vez, e os zangões anotaram apenas 10 pontos e sofreram 22. Com isso, o Rockets entrou no período derradeiro vencendo por 70 a 51 e só teve o trabalho de administrar o resultado. O cestinha da contenda foi o ala-armador Kevin Martin, da equipe de Houston, com 17 pontos. Do nosso lado, o ala Al-Farouq Aminu foi o destaque: 15 pontos e 5 rebotes, em 30 minutos. O pivô Robin Lopez, com 11 pontos e 8 rebotes, também apareceu razoavelmente bem. Já o restante do time foi horrível nos arremessos de quadra. Não dá para citar mais ninguém. O Jeremy Lin? Ok, 9 pontos e 7 assistências (em 23 minutos) para o armador do Rockets. Apenas razoável.

* Confira aqui o Box Score (com vídeos) da partida

Anthony Davis não jogou

Agora sim, vamos voltar a falar sobre o Anthony Davis. Bem, nos três jogos em que participou, o jovem e talentoso ala-pivô obteve 14.0 ppg e 8.7 rpg atuando 27.6 minutos (em média). São ótimos números, principalmente se levarmos em conta que o time de New Orleans venceu todas as três partidas. Você, que costuma ler o Brazilian Hornet, sabe que eu não tenho por hábito valorizar resultados de jogos da pré-temporada, é verdade. Só que a comparação se torna inevitável, não tem jeito. Foi só o Davis não jogar, que o Hornets levou uma sova – errando muito no ataque e batendo cabeça na defesa (tomamos vários pontos bobos, alguns em jogadas de contragolpe). Ah, mas é preciso deixar bem claro que eu não estou querendo colocar nas costas desse rapaz de 19 anos a responsabilidade pelo nosso sucesso (ou não) no campeonato que se avizinha. Eu apenas apresento um fato e um questionamento: “ele não jogou; o time perdeu feio. Mas e se ele tivesse jogado?” Pois é, a derrota para o Rockets me afundou em dúvidas (eu disse dúvidas, e não dívidas). Será que o Anthony Davis já faz tanta falta assim? Ou tudo o que aconteceu no Texas não passa de mera coincidência? Aguardo os comentários de vocês.

No vídeo abaixo, os highlights da derrota do Hornets:

OBS: O armador – filho de brasileiros – Scott Machado, do Rockets, jogou apenas 6 minutos e distribuiu 5 assistências contra o Hornets! Só como comparação, o nosso melhor passador no jogo foi o Greivis Vasquez, que teve as mesmas 5 assistências que o Machado, mas passou muito mais tempo em quadra: 30 minutos.

* ERIC GORDON: De acordo com o técnico Monty Williams, o Hornets segue apostando no habilidoso (e polêmico) ala-armador para ser o líder do time dentro de quadra. Só resta saber se é isso o que o atleta deseja. Sinceramente? Eu já nem sei mais o que pensar.

* OUTROS DESFALQUES: O ala-pivô Jason Smith (dores nas costas) e o ala-armador Xavier Henry (joelho direito) não atuaram nas últimas três partidas do Hornets na pré-temporada. Smith deverá reaparecer nesta quinta-feira (18/10), contra o Atlanta Hawks, mas Henry ainda não tem previsão de retorno. Boa recuperação a ambos.

* AVISO: Alguns torcedores de outras equipes têm aparecido aqui no BH e deixado comentários, o que é muito bacana. O problema é que nem todos se apresentam com boas intenções. Portanto, eu informo aos que comentam no intuito de participar, debater ou até mesmo criticar (desde que com o respeito que nós, fãs do Hornets, merecemos), que a visita de vocês é extremamente bem-vinda e nos enche de alegria. Já a galerinha que vem para tumultuar não terá os comentários publicados no blog. Portanto, nem tentem. Obrigado.

About these ads

13 comentários sobre “FATO OU MERA COINCIDÊNCIA?

  1. Belo post de novo Luke.
    Davis é nao só o nosso futuro, como tambem o futuro da Liga.
    Com ctz fará falta se nao jogar.
    E essa situaçao do Gordon ta enchendo o saco ja. Ou joga ou troca ele de uma vez.
    Como no proprio caso dele e no e Kaman, ninguem fala nada. Chato demais.
    Q venha o Hawks, e espero q com Davis
    Go Hornets

    • Fala, Kaião. Pois é, o Davis faz falta, mas eu ainda acho cedo para se dizer que há uma “dependência” aí. Eu não sei o que você pensa em relação a isso, mas foi só ele não jogar, que o Hornets sucumbiu. E diante do Rockets, que não é esse time todo, hein?

      Sobre o “glorioso” Eric Gordon, eu nem sei mais o que dizer. É uma situação tão chata e arrastada, que o melhor seria trocá-lo de vez. Ou não. Eu já nem sei…

      E no próximo post, uma novidade para você… rs.

      Abço!

  2. Iae Lucas, tdb? Primeiro quero te parabenizar pelo site, e por todos os seus comentários em outros sites( particularmente o JumperBrasil, de qual sou leitor assíduo haha), comentários que sempre gosto e levo a sério…. Poltz, esse Anthony Davies eh um monstro jogando neah? Kkkkk….. Sou torcedor do Mavericks, mas o Hornets eh um time que gosto mto (ótimos tempos com CP3)…… Vc acha que seria melhor tentar fazer um milagre trocando o Eric Gordon e mais algumas movimentações com outros times, para tentar trazer algum jogador estrela que possa auxiliar o crescimento do AD? Ou manter o Eric Gordon, jogador novo, com instinto de estrela, soh que pela idade isso poderia atrapalhar jogadores como Austin, Anthony, Greviz e outros? Ahhhh, parabéns por defender seu time em meio a tantas provocações idiotas, e tenho certeza, logo veremos esse hornets voando :D!!!! Abraço manow, e continue com o ótimo trabalho……

    • Olá, Douglas. Seja muito bem-vindo ao BH e obrigado pelas palavras. De fato, o Jumper Brasil é um site que merece todo o nosso apoio e audiência. O trabalho que os caras fazem lá é fantástico. Estão sempre postando matérias e atualizando os leitores sobre os times e jogadores. No Brasil, nós temos diversos blogs excelentes sobre a NBA, mas o Jumper Brasil é um verdadeiro site de notícias fundamental para os fãs brasileiros da maior liga de basquete do planeta. Por isso, eu sempre participo lá, mesmo sabendo que lerei abobrinhas de alguns “comentaristas” em relação ao Hornets. Mas isso faz parte… rs.

      Sobre o Eric Gordon, é aquilo que eu respondi ao Kaio. Eu não sei ao certo o que fazer. Na verdade, eu não sei nem o que o Eric Gordon quer da vida (principalmente agora, que ele está milionário). Eu penso que trocá-lo com alguma franquia que possa nos ceder ótimas escolhas de draft seria muito interessante. No entanto, o Gordon pode retornar ao time do Hornets a qualquer momento, fazer 22.0 ppg (ele tem talento para isso) e calar a minha boca. Então, é complicado. Se ele estiver afim de jogo e agir profissionalmente, é um jogador que nos ajudará muito, inclusive no crescimento dos mais jovens, como Davis, Rivers, Aminu, Miller, Henry, etc. O elenco do Hornets é muito jovem, e o Gordon (apesar de estar com apenas 23 anos) é um jogador diferenciado, parece um veterano em quadra (no bom sentido). O problema é que eu não sei o que o Gordon quer de verdade. O “coração” dele ainda está em Phoenix? Ele está infeliz no Hornets? Ele estaria forçando uma troca? O joelho dele piorou? Como? Enfim, isso tudo é muito nebuloso, concorda?

      Para terminar, é sempre bom receber aqui um torcedor campeão da NBA (espero que um dia eu chegue lá… rs). O seu Mavs arrasou em 2011, e o Dirk Nowitzki é um dos jogadores mais fantásticos que passaram pela liga nos últimos anos. Parabéns. Quanto ao meu Hornets, a gente está trabalhando para isso, né? Chegar, ao menos, em uma final. Isso já seria espetacular.

      Abço!

      • Haha, pena que existem torcedores que não entendam o verdadeiro espírito esportivo do basquete!!! Dirk, realmente uma máquina. Torço para o Mavs principalmente por ele, um jogador de nivel espetacular, talvez o melhor europeu que atuou na NBA?
        Mas voltando ao assunto Gordon, manter ele no elenco, trabalhar para que ele seja um líder, sabendo da explosão e talento que ele possui sendo um armador… Seria como um Derrick Rose do Bulls? Um jovem, lider, talentoso e explosivo, sendo a arma principal do Hornets? Claro, não esquecendo os jovens talentosos que o time possui, principalmente Anthony “Monster” Davies, fazendo com que esse time seja uma potência em poucos anos…. Mas a idéia da troca por Draft’s futuros seria uma boa, um tanto quanto arriscado. Tiramos por exemplo o Kings, time com talentos sem iguais, que todos sabemos, mas que pela falta de uma liderança em quadra não tem dado nada certo…. Eh, acho que a liderança do Eric Gordon será essencial para o crescimento do time, um time de talentos que logo pretendo ver sagrando-se como campeões…….

  3. Fala gnt, o Anthony Davies é um BAITA jogador, pra mim será futuro Garnett/Duncan da NBA, mas se o Hornets tivesse um armador clássico ai esse garoto seria ainda melhor jogador….. olha que o Nash tava dando sopa, tem tbm o Rondo – não quero que ele saia do meu Celtics, mas seria um ótimo parceiro pro Davies – e tbm o Scott Machado que pra mim já ta pondo o Lin pra reserva, sendo este uma aposta mais para o futuro.
    Enfim, não tenho dúvidas que o Davies será o Rookie do ano, será o lider em ppg do Hornets, e tbm – opniao bem pessoal – será top 10 da nba esse ano.
    Boa sorte ao Hornets!!

    • Como vai, Thiago? Seja bem-vindo ao BH. Olha, eu concordo contigo. Acho que o Davis tem todas as condições para brilhar e causar impacto imediato. Sobre o armador, seria ótimo contar com Nash ou Rondo, mas é complicado contratar jogadores desse calibre, ainda mais sendo uma franquia de mercado menor. Então, o Hornets está fazendo o que pode no sentido de desenvolver os seus jovens (o elenco é MUITO JOVEM) e montar uma equipe a longo prazo. Acho que é por aí.

      Aliás, o Chris Paul será FA irrestrito em 2013. Pela proximidade que ele tem com o Hornets e com New Orleans, a franquia poderia tentar contratá-lo novamente. É muito complicado, eu sei. Mas entre Nash, Rondo e Paul, o mais acessível para o Hornets (principalmente pela história que tem na franquia) seria o CP3. Mas isso é sonho. O Hornets está com os pés no chão e trabalhando com o que tem. E eu creio que colheremos os frutos em breve.

      Abço!

  4. Pois é, Douglas. Eu concordo. Não me lembro de um jogador europeu melhor que o Nowitzki jogando na NBA. Eu gosto do Pau Gasol, mas acho o Dirk muito mais decisivo. O Vlade Divac foi um ótimo pivô, o Tony Parker é muito bom, o Andrei Kirilenko teve um excelente momento no Jazz, mas o Nowitzki comandou o Dallas a um título improvável na época. Ele se colocou em outro nível.

    Sobre o Eric Gordon, é interessante isso o que você escreveu. Ontem eu li uma matéria em que o técnico Monty Williams dizia que o melhor PG do elenco do Hornets era exatamente o Eric Gordon. O cara é o melhor PG e o melhor SG do time. Porém, isso pouco adianta se ele não joga ou não mostra vontade de jogar. E eu, sinceramente, não sei o que se passa. As atitudes do Gordon na entressafra não foram muito legais. Então, é natural que os fãs do Hornets estejam desconfiados. Eu não sei o que esperar do Gordon, não sei mesmo. E é por isso que sugeri uma troca como algo a se pensar.

    Em relação ao Kings, é um time talentoso. Mas dizem que as principais figuras dos Reis não são lá muito de treinar. Leia-se Tyreke Evans, Marcus Thornton e DeMarcus Cousins. E se os jogadores mais importantes não se aplicam 100%, a coisa desanda mesmo, né?… rs.

    Abço!

    • Olá Lucas, parabéns pelo seu trabalho, muito bom! Só em relação ao que o Douglas disse do Kings, é um time que tem talentos absurdos, Tyreke Evans na sua temporada de rookie era um monstro, tinha muito a evoluir, mas só caiu… Cousins, sendo trabalhado aos poucos pode ser um dos pivos mais dominantes, porém preguiçoso e brigão… Isso é falta de ter um jogador que esteja ali e mostre, ” ei, eu mando no pedaço, e qm não estiver com vontade de jogar que saia “… não sei se o E.Gordon vai fazer esse papel no Hornets, eu tentaria trocar ele por um jogador mais experiente e rodado, pq o Gordon tem valor no mercado apesar de ser bixado… Abraço e até mais…

      • Exato, Luiz Gustavo. Seja bem-vindo ao BH e obrigado pelo elogio.

        Olha, eu também percebo essa ausência de um líder no Sacramento Kings. Mas falando em Hornets, eu tenho sérias dúvidas se o Eric Gordon pode vir a ser essa figura. Em primeiro lugar, ele não joga. Em segundo lugar, ele é um cara que prefere assistir a basquete universitário ou futebol americano e ficar tuitando, enquanto os companheiros dele estão jogando. E em terceiro lugar, ele ainda não mostrou o menor entusiasmo em atuar no Hornets e assumir um papel de líder dentro da equipe, haja vista o que ele fez na offseason. Mas apesar de tudo, ele é um baita jogador, tem um QI fantástico e parece um veterano (no bom sentido) dentro de quadra. Então, eu fico na dúvida. O que fazer com o Gordon? Trocá-lo é uma possibilidade. Não há como negar isso. Mas se ele permanecer e resolver agir com profissionalismo, também será muito bom. Imagine o Davis e ele jogando motivados? Seria fantástico! Vamos ver, né?

        Abço!

  5. Pingback: OUTRO APAGÃO INEXPLICÁVEL | Brazilian Hornet

  6. Pingback: O QUE VEREMOS NO DIA 31? | Brazilian Hornet

  7. Pingback: VOCÊS DECIDEM! | Brazilian Hornet

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s