O FUTURO DE ERIC GORDON

Trevor Ariza vai para a bandeja, na derrota para o Mavericks

* Por Lucas Ottoni

Olá, caros amigos. O Brazilian Hornet seria atualizado ontem (22/01), mas questões particulares me impossibilitaram de tocar o blog. Então, a gente volta nesta segunda-feira para falar sobre o ala-armador Eric Gordon. Antes disso, vamos olhar rapidamente para o nosso time. No último sábado, o New Orleans Hornets (3-13) perdeu, em casa, para o forte Dallas Mavericks (10-7). Mesmo sem o astro alemão Dirk Nowitzki (que sente dores no joelho direito), o atual campeão da NBA se impôs e conseguiu a vitória, por 83 a 81. Eu não pude assistir ao jogo, mas vi que o ala-pivô Carl Landry voltou a ter uma participação de destaque com os zangões: 19 pontos, em 27 minutos. Se serve de consolo, essa é uma boa notícia. Landry é um ótimo jogador e não pode passar tanto tempo sentado no banco de reservas (como vinha acontecendo nas partidas anteriores). Portanto, é muito bom tê-lo de volta. No mais, outra derrota apertadíssima, no estouro do cronômetro. Limitamos o Mavs a 83 pontos, mas (novamente!) acabamos pontuando menos e amargamos a nossa 13ª derrota, em 16 jogos. A defesa do Hornets continua  sólida, mas o ataque é aquela miséria de sempre. O armador Jarrett Jack até que tentou nos salvar no fim, mas a jogada (infelizmente) não deu certo. Confira os highlights abaixo:

Mais uma vez, o Hornets sentiu falta de um artilheiro, um cara que conseguisse alavancar a nossa produção ofensiva. E o pior, é que temos esse jogador no nosso elenco, mas ele jogou apenas duas das 16 partidas que realizamos na temporada. Alguém aí tem alguma dúvida de que o Hornets estaria com uma campanha melhor, se o Eric Gordon estivesse regularmente em quadra? Pois é, nos dois jogos em que atuou (uma vitória e uma derrota), o ala-armador titular dos zangões obteve uma média de 21 pontos e chamou a responsabilidade nos momentos decisivos. No entanto, faz tempo que ele não entra em ação (a última vez foi contra o Philadelphia 76ers, no dia 04 de janeiro). Uma lesão no joelho direito, sofrida logo na estreia do Hornets no campeonato (diante do Phoenix Suns), acabou prejudicando o Eric Gordon e, por tabela, todo o time de New Orleans. Ele tentou voltar no jogo contra o Sixers e teve uma boa atuação, mas depois as dores no joelho aumentaram. Com isso, Gordon foi afastado das partidas e teve uma previsão de retorno em três semanas. Acontece que esse prazo já está vencendo, e o que se lê agora é que ele ainda não está em condições de retornar, que isso talvez leve mais um tempinho. Como os zangões já estão com a temporada comprometida, esperar mais um pouco não parece ser problema. Só que, nesse momento, a franquia precisa tomar uma decisão importante a respeito do futuro do atleta (e, provavelmente, da própria franquia). Não entendeu? Eu explicarei no parágrafo abaixo…

Eric Gordon procura uma valorização

O lance é o seguinte, parceiros: o New Orleans Hornets tem até esta quarta-feira (dia 25/01) para oferecer uma extensão de contrato ao Eric Gordon. Se não o fizer, Gordon poderá se tornar um agente livre restrito, no dia 01 de julho, e negociar com outras equipes. Caso isso aconteça, os zangões poderão igualar qualquer oferta que o jogador receba, para, assim, mantê-lo em New Orleans. O Gordon já se manifestou a respeito do assunto e deixou claro que está aberto à possibilidade de permanecer na Louisiana. Para isso, basta que os zangões reconheçam o seu valor. Vocês já entenderam tudo, né? O ala-armador receberá “apenas” U$ 3,8 milhões nessa temporada e pretende conseguir um contrato muito mais vantajoso para o futuro. Agora, a situação está nas mãos da franquia e do nosso GM, o Dell Demps. O Hornets tem somente dois dias para bater o martelo e garantir a permanência (a longo prazo) do Gordon. Ou, então, a franquia irá esperar o contrato dele se encerrar no próximo verão americano, para igualar as ofertas que (certamente) o atleta receberá. Abaixo, eu traduzi um trecho do que o Eric Gordon falou sobre essa situação (ao site NOLA.com, do jornal The Times-Picayune):

Estou muito aberto a uma extensão de longo prazo (com o Hornets). Você sabe, eles (a franquia) me disseram que me querem aqui (em New Orleans), eles querem uma extensão. Mas é tudo sobre o que eles pensam a respeito do meu valor. Eles enxergam que eu sou capaz de ajudar esta equipe a vencer, capaz de jogar duro todas as noites, ofensivamente e defensivamente. Agora, é tudo sobre como lidar com o que eu valho“.

Eric Gordon fez apenas 2 jogos em 2011-12

Certo, agora vamos analisar toda essa situação. Como vocês já puderam perceber, o Hornets tem duas opções aí: oferecer logo um novo (e polpudo) contrato ao Gordon e garantir o futuro do atleta na Louisiana, ou esperar até o meio do ano e igualar a maior oferta que ele receberá de uma outra equipe. São duas opções que apresentam os seus prós e contras, a meu ver. Antes de falarmos sobre o pacote de  vantagens e desvantagens, é importante pensarmos naquilo que disse o Eric Gordon. Tudo é sobre o quanto ele vale. Sim, a questão aí é grana, muita grana. O Gordon é um ala-armador jovem (23 anos), de grande talento, jogador de seleção americana, que muitos acreditam ser um futuro All-Star dentro da NBA. Mesmo sem atuar frequentemente, ele é, hoje em dia, o principal jogador do elenco do New Orleans Hornets. Aí estão alguns motivos suficientemente convincentes para que os zangões renovem logo o vínculo com o atleta. Porém, temos um porém (péssima, essa): o histórico de lesões desse jogador. Gordon convive com graves problemas no pulso direito, desde a época em que era universitário. Também já se lesionou na virilha, no período em que atuava pelo Los Angeles Clippers. Agora, ele sofre com uma contusão no joelho direito, que o afastou de 14, dos 16 jogos do Hornets na temporada 2011-12. Partindo dessas duas realidades (o talento e as lesões), analisemos os prós e os contras das duas opções que o Hornets tem em mãos:

1ª opção: Assinar uma extensão de contrato com o Eric Gordon, até esta quarta-feira (25/01)

Ao pensar em fazer isso, o Hornets precisa levar algumas situações em consideração. Primeiro, o atleta espera ser valorizado e pretende assinar um contrato vantajoso, em termos financeiros. Sem dúvida, o Eric Gordon é um excelente jogador, que vale muito mais do que recebe atualmente (os U$ 3,8 milhões nessa temporada). Depois, ele já mostrou interesse em permanecer com os zangões. Ok, isso é muito bom, só que, por outro lado, ele fez apenas duas partidas pela franquia, até o momento. Teve uma lesão no joelho direito que o afastou de vários jogos e que ainda não se sabe se poderá ressurgir no futuro. Então, será que vale a pena oferecer um contrato três vezes maior (isso é “chute”, ok?) e de longo prazo a um jogador que fez somente dois jogos conosco e que não está 100% saudável nesse momento? Eu faço essa pergunta, porque me lembro do caso do Michael Redd.  Em 2005, o Milwaukee Bucks ofereceu ao Redd um contrato de U$ 91 milhões de dólares, por seis anos. E ele acabou passando os três últimos anos desse acordo praticamente sem jogar, sofrendo com uma lesão gravíssima no joelho esquerdo. Voltando ao nosso caso, o Hornets precisa ter certeza de que vale a pena assumir os riscos. E os riscos existem, apesar de o Eric Gordon ser (indiscutivelmente) um excepcional jogador de basquete. Então, é colocar na balança e dar o “tiro”. Ou não.

2ª opção: esperar o contrato do Eric Gordon expirar no próximo verão americano e igualar a maior oferta pelo jogador

Como já falamos lá em cima, se o Hornets não oferecer um novo contrato até esta quarta-feira, o Gordon poderá (e deverá) se tornar um agente livre restrito, ao final dessa temporada. Se isso acontecer, a maior oferta que fizerem por ele no mercado poderá ser igualada pelo Hornets, o que manteria o ala-armador em New Orleans. Acho que essa 2ª opção seria mais segura e coerente para a nossa franquia, principalmente se observarmos os riscos implícitos na 1ª opção. Contudo, isso também não quer dizer que estaremos livres de problemas, caso optemos por esperar o contrato do Gordon chegar ao fim. Vamos admitir a seguinte hipótese: o Hornets não propõe a extensão de contrato agora e aguarda o verão americano. Nesse meio tempo, o Gordon volta de contusão, faz uma belíssima temporada conosco (pelo menos, os jogos que restarem) e entra valorizado no mercado de agentes livres. Aí, uma equipe qualquer, desesperada por talento, oferece um contrato “insano” ao jogador. Nesse caso, o Hornets se veria obrigado a igualar a oferta e arcar com essa “insanidade” para não perder o atleta de mão beijada. Moral da história? Pegaríamos de volta um jogador talentosíssimo, mas com um histórico de lesões, que receberia uma enorme fortuna e poderia vir a ser um novo Michael Redd (só para ficarmos no mesmo exemplo). Se isso vier a acontecer (o novo Redd), a nossa franquia se arrependerá amargamente por não ter assinado a extensão com o Gordon (por um valor menor que a “insanidade”), ou até mesmo por ter igualado a oferta “insana”. E ainda há a possibilidade (essa, mais improvável) de o Hornets resolver não igualar nada, perder o jogador de graça, e ele arrebentar em outra equipe (ou se tornar o novo Redd lá, para a nossa sorte). Pois é, mais riscos a serem levados em conta. Temos que pensar em tudo, não é mesmo?

O SG do Hornets tem sido presença constante nas convocações da seleção americana

O Dell Demps, nosso GM, certamente está olhando para essas duas opções e trabalhando com as possibilidades, pesando as situações, antes de tomar qualquer decisão (ou não) até quarta-feira. A minha opinião? Ok, eu optaria pela 2ª opção e correria os riscos que eu exemplifiquei no parágrafo acima. Afinal, mesmo sendo um senhor jogador, o Eric Gordon fez apenas 2 jogos, está contundido e ainda não tem previsão de retorno. Acho que, diante desse quadro, não seria sensato, nesse momento, oferecer um novo contrato (bem mais vantajoso $$$) a ele. Enfim, isso é o que eu faria. E eu tenho a impressão de que é exatamente assim que o Demps irá proceder. O nosso GM não falou sobre essa situação e nem deu pistas de como conduzirá o caso, mas eu acho que ele vai esperar o Gordon se tornar agente livre restrito, para igualar a maior oferta que aparecer no mercado. E até lá, eu espero que o Hornets já possua um novo proprietário, pois qualquer movimento do Demps ainda depende do aval da NBA (e isso pode acabar nos prejudicando).

* Confira aqui o Box Score (com vídeos) da partida (contra o Mavs)

Ah, vale lembrar que o Eric Gordon tem, em seu contrato, uma oferta de qualificação automática de U$ 5,1 milhões, para cumprir mais um ano com a sua atual equipe, isto é, o Hornets. Entretanto, é óbvio que ele não vai topar essa situação. Afinal, ele sabe que pode conseguir algo muito mais vantajoso, seja dos zangões ou do mercado de agentes livres. Independente do que for acontecer, vamos ficar na torcida para que o desfecho seja o melhor possível para o Hornets. E eu me alonguei nesse assunto, porque vejo que o futuro do Eric Gordon é algo relevante demais para a nossa franquia. Esse cara pode ser um dos líderes de uma equipe vencedora, que está prestes a surgir em New Orleans. E vocês? O que pensam a respeito?


 FERROADAS

* HORNETS VS SPURS: Os zangões voltarão à quadra, nesta segunda-feira (23/01), às 23h (de Brasília). O adversário é a experiente equipe de San Antonio, do veterano Tim Duncan, e o duelo acontecerá na New Orleans Arena. O Brazilian Hornet acompanhará, via Twitter. Siga o BH e saiba tudo o que acontecerá, ao longo da partida. Vencer um rival de divisão é sempre uma boa pedida para começar a semana com o pé direito, não é mesmo?

* New Orleans Hornets Brasil: a prévia do jogo

* PERTO DE ESTREAR: O ala-armador Xavier Henry, adquirido pelo Hornets em uma troca tripla com o Memphis Grizzlies e o Philadelphia 76ers, no início desse mês, está em fase final de recuperação de uma lesão no tornozelo direito. Ele deve jogar pela primeira vez, com os zangões, nos próximos dias. Eu espero que o Henry apareça bem. Afinal, precisamos (e muito!) de um reserva confiável para o Eric Gordon.

About these ads

10 comentários sobre “O FUTURO DE ERIC GORDON

  1. Pra mim é bem claro a coisa.
    TEM QUE RENOVAR COM O GORDON O QUANTO ANTES.

    Nenhum time da Liga pode perder um jogador do calibre dele. Ainda mais o nosso, q é mt limitado ofensivamente.

    Algo em torno de 10M por ano, por 5,6 anos, é um bom acordo, msm ele valendo mais.

    Axo q tem q renovar, e garantir ele. Pq se na OffSeason, ele receber proposta mt vantajosa, e deve receber, pq vai ter times capazes disso, ele vai querer sair, e ae vamos sofrer com a famosa Sign and Trade, e receberemos mt menos doq ele vale.

    Se as lesoes, complicarem, ele pode ser trocado, é novo, e mt talentoso. Tem um mercado fortissimo… por isso q temos q renovar o qt antes e garantir ele em NOLA

    Depois procura uma troca se for o caso

  2. Fala, grande Kaio. Novamente, estamos com pontos de vista diferentes… rs… E eu acho isso ótimo, maravilhoso para o debate!… rs

    Vamos lá… Eu não cogito uma possibilidade de Sign and Trade (pelo menos, por enquanto), porque o próprio Gordon avisou que tem real interesse de permanecer no Hornets. Caso contrário, ele jamais falaria o que falou. Ficaria calado, não aceitaria nenhuma extensão e ponto final.

    Outra coisa, são os 10 M por ano. Eu concordo com você. Acho que o Gordon vale até mais do que isso, mas o Hornets não deve abrir o cofre para um jogador que, hoje, apresenta as condições do Gordon: muito talentoso, mas com uma lesão no joelho (que parece ser mais séria do que o previsto) e tendo feito apenas 2 jogos pela franquia. Além de outras lesões que ele já apresentou ao longo de sua curta carreira profissional. Então, eu acho que 10 M por ano seria muito justo. O problema é o Gordon aceitar. Creio que ele não vai topar de jeito nenhum. Talvez, por U$ 12 milhões anuais, ele já sente para conversar. Menos que isso, eu não acredito (espero estar enganado, se o Hornets oferecer a extensão). rs

    Além disso, se o Hornets oferecer um mega-contrato e as lesões complicarem, não creio que o nosso time encontrará muitos candidatos dispostos a boas trocas pelo Gordon. Ficaríamos atolados com uma espécie de novo Michael Redd, como eu escrevi no texto.

    Então, acho que o Hornets vai buscar igualar possíveis boas ofertas por ele na agência livre (dependendo de como estiver o Gordon no próximo verão). Claro que existem riscos, mas eu vejo que, nesse momento, é o mais sensato a se fazer. O Nuggets, por exemplo, fez isso com o Nenê. E temos outros exemplos por aí.

    Se o joelho do Gordon estivesse ok, eu concordaria 100% com você. Mas oferecer uma grana a ele, nessas atuais condições, até esta quarta-feira, é algo a se pensar com muita cautela. Por isso, eu acho que o Demps não dará o “tiro”. Vamos ver, né?

    Abço!

  3. Lucas, pelo q vi, vc concordou comigo em td. Mas axo q talvez nao entendido oq eu penso, talvez nao tenha conseguido me expressar.
    A Sing & Trade, so seria se no caso, ele quisesse ir pra outro lugar na Offseason, que oferecessem um contrato mt gordo pra ele. Eu tbm nao quero isso. Mas dependendo como for, pode acontecer.
    Qt ao acordo, eu axo q 10M pelo riscos da lesao, seria o mais correto, mas é certo q ele nao deve aceitar isso. Concordo q ele deve ta pensando em uns 12M, ate pq se o Okafor ganha isso, pq ele nao???
    Qt a questao do contrato, tem que ser longo, pq ele é jovem, e é ae que difere mt do Reed, que qd recebeu a extensao ja nao era um garoto, erro do Bucks msm. Mas o Gordon pela idade, DEVE receber um contrato longo, e pela msm questao da idade, juntamente com o talento, ele vai ter interesse. Só pra lembrar, o Brandon Roy recentemente aposentado, msm novo, tinha proposta de varios times, mas ELE nao quis continuar, axou melhor parar.
    O caso do Nuggets, nao foi eles q fizeram algo, Nene deixou bem claro q iria testar o mercado, inclusive falando q nao renovaria com o Nuggets no primeiro momento.
    Eu renovaria pra garantir ele, e se vermos q a coisa vai ficar complicada por causa de lesoes, troca ele, pelo alto valor no mercado.

  4. Olha, Kaio. O Hornets pode até tentar oferecer um contrato de U$ 10 milhões anuais para o Gordon. Mas ele não irá aceitar. U$ 12 milhões? Talvez. Mas eu acho que o Dell Demps não irá oferecer nada, por enquanto. Posso até estar errado, mas acho que o Demps não vai colocar os pés pelas mãos. A verdade é que o Gordon é uma incógnita, nesse momento. Ele voltaria em 3 semanas, mas agora não se sabe quando volta e nem como volta. Tudo o que você falou está correto, mas você só se esqueceu de levar em conta as atuais condições do jogador e os riscos que representa para a franquia oferecer um contrato de altas cifras. Os tais U$ 10 milhões resolveriam o problema, mas nós sabemos que isso não irá acontecer.

    E o Michael Redd assinou a extensão com o Bucks, aos 25 anos. Apenas 2 a mais que o Eric Gordon. E, naquela época, o Redd não apresentava lesões graves. Diferentemente do Gordon hoje, que já tem um histórico em sua carreira (pulso 3 vezes, virilha e joelho). Enfim, não estou dizendo que você está errado. Apenas acho que não devemos oferecer uma extensão de altas cifras, nesse momento. Vamos ver o que o Demps fará…

    Abço!

  5. muito bom o texto, mto bem escrito lucas

    eu li q tem sim chance dos hornets oferecerem uma extensao ao eric gordon. e isso pode acontecer pois parece q nao foi detetado nem um tipo de lesao seria no joelho dele. falavam em fratura na rotula sabia?, mas parece q está tudo bem. o gordon disse q extensao depende da nba. so isso. mas o q voce escreveu e o kaio faz todo o sentido. os hornets estavam sim receosos com o caso do gordon. mas acho que ele vai receber a extensao pois eles ja pretendem se desfazer do kaman. é o q eu tenho ouvido. só não sei o valor do novo contract,,,
    Aqui na florida, pensacola a gente ve algumas noticias dos hornets nos cadernos de esporte, entao a situaçao é essa. o gordon pode renovar ate essa semana.

    saudaçoes, rapaz. parabens pelo blog.

    • Obrigado pelos elogios e pelas informações, Carlos. É bom saber que a lesão do Gordon não é grave. Se realmente os médicos constataram que ele voltará 100%, aí a coisa já muda um pouco de figura. E se o jogador disse que a renovação depende da NBA, é porque o Hornets já deve até ter feito uma proposta de extensão (e a NBA está analisando). O que pega aí são as lesões, os riscos para o futuro. Se tivermos segurança de que está tudo bem e que o Gordon se manterá saudável, então a extensão é uma boa. O problema é dar o “tiro” na dúvida, no escuro.

      É como eu disse no fim do post. Vamos torcer para que o desfecho seja o melhor possível para a franquia, independente do que aconteça.

      Abraço e seja bem-vindo!

    • É verdade, Ricardo. O Hornets pode até oferecer uma boa extensão ao Gordon. Mas vai fazer isso já sabendo dos riscos que essa ação poderá acarretar.

      Sobre o Pacers, acho que tudo ainda são rumores. O mais importante é encontrarmos um dono para viabilizar o trabalho do Demps. Ficar dependendo do aval da NBA para qualquer coisa é brabo… rs

      Abço!

  6. Pingback: QUEM VOCÊ ESCOLHERIA? | Brazilian Hornet

  7. Pingback: ALGO BOM A SE FALAR | Brazilian Hornet

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s