JOGOS DE TRÊS PERÍODOS

O Hornets não impediu os 37 pontos do Grizzlies, no segundo quarto

* Por Lucas Ottoni

O terceiro back-to-back do New Orleans Hornets (3-9) na temporada 2011-12 da NBA terminou da pior maneira possível. Na última sexta-feira, o time perdeu para o Minnesota Timberwolves (4-8), e, no sábado, caiu diante do Memphis Grizzlies (5-6). Duas derrotas que colocam os zangões na última colocação da Conferência Oeste. Dessas duas partidas, eu assisti apenas ao duelo com o Wolves, mas nem precisei conferir o tropeço sofrido ante o Grizzlies para saber que, mais uma vez, nós realizamos um jogo de três períodos. Às vezes, a equipe do Hornets parece esquecer que jogos de basquete são compostos por quatro períodos, e, nesses dois últimos resultados ruins, nós atuamos como guerreiros, com intensidade, em 75% do tempo.  Já nos outros 25%, deixamos o adversário fazer o quisesse, tanto na defesa, quanto no ataque. Pronto, esses 25% aí explicam o back-to-back desastroso. Mais abaixo, eu seguirei escrevendo sobre os apagões do time da Louisiana. Entretanto, o próximo parágrafo vai dar destaque a algo muito legal…

* O parceiro Joe Gerrity, um dos escritores do blog americano Hornets247, citou o Brazilian Hornet em seu programa (The Sworm), na rádio WGSO, 990 AM (New Orleans, Louisiana). E o mais legal disso tudo é que ele falou sobre os fãs internacionais dos zangões e incluiu os brasileiros, isto é, nós. O programa, que foi ao ar no último dia 7 de janeiro, teve duração de 52 minutos e 48 segundos. Ele destacou o nosso blog e os fãs brasucas, no fim do programa, a partir dos 47 minutos. Para ouvir, é só clicar aqui.

Muito bacana, né? Em nome dos fãs brasileiros do Hornets, eu agradeço ao Joe pela lembrança e deixo um grande abraço para ele e todo o pessoal do blog Hornets247! Thank you, Joe!

Kevin Love deu trabalho aos zangões

Agora, vamos voltar às duas últimas derrotas dos zangões. Na sexta-feira, nós perdemos um jogo muitíssimo importante. Como vocês bem sabem, o Hornets é detentor de uma valiosa (eu espero) escolha de primeira rodada do Minnesota Timberwolves, no próximo draft. Portanto, quanto mais derrotas os lobos tiverem, melhor para nós. Acontece que os zangões acabaram não se ajudando e caíram diante de Kevin Love (que monstro!) e cia., em plena New Orleans Arena: 87 a 80, para o Wolves. Na verdade, o que vimos foi um jogo tecnicamente sofrível, com as duas equipes errando bastante no ataque. Sabem o que fez a diferença a favor dos visitantes? Isso mesmo, os tais 25%. O Hornets venceu o primeiro quarto, por 21 a 16. No segundo quarto, o Wolves deu o troco: 21 a 17. Aí, vem o terceiro quarto, e o que acontece? Os zangões perdem o rumo e levam uma surra de 26 a 13! Isso mesmo, 26 a 13! Vários erros seguidos no ataque, o nervosismo batendo, e a defesa afrouxando.  No último período, o Hornets reagiu e fez 29 a 24, o que não foi suficiente para anular o desastroso quarto anterior. O resultado não poderia ter sido outro: tropeço em casa, e para um adversário que precisa perder o máximo de jogos.

* Confira aqui o Box Score (com vídeos) da partida (contra o Wolves)

Se tivemos algo de bom (contra o Wolves), foram as belas atuações de Emeka Okafor, Marco Belinelli e Gustavo Ayon, que já aparece muito mais solto e confiante na rotação do time.

O mexicano Gustavo Ayon foi bem, apesar do terceiro quarto sofrível do Hornets

Na noite seguinte, lá foi o Hornets para Memphis, onde enfrentou o Grizzlies. O nosso rival da pré-temporada (em que vencemos os dois jogos) fez valer o seu mando de quadra e ganhou a partida, por 108 a 99. Eu não posso tecer grandes comentários, já que não assisti ao jogo e me guiei apenas pelo que li (valeu, André Lucas!). Porém, duas coisas me incomodam, logo de cara. Primeiro, eu observo que deixamos o nosso rival ultrapassar a marca dos 100 pontos, o que não é comum para o nosso time. E, depois, novamente os tais 25% aparecem com força. No primeiro quarto, triunfo do Hornets: 24 a 20. Aí, vem o segundo quarto, e os zangões sofrem um incrível 37 a 23! Quase 40 pontos, em um mísero período! Na etapa final, volta o equilíbrio, com uma equipe vencendo cada quarto. Fim de jogo, e vitória do Grizzlies, que deve ter nos agradecido pela “forcinha” no segundo período, né?

Sobre as atuações individuais, Jarrett Jack, Jason Smith e Greivis Vasquez (que reencontrou a sua ex-equipe) parecem ter sido os nossos destaques, lá no Tennessee. E o Gustavo Ayon também fez um outro jogo consistente, pelo que pude conferir no Box Score.

* Veja aqui o Box Score (com vídeos) da partida (contra o Grizzlies)

Enfim, duas derrotas sofridas, graças a um quarto desastroso em cada jogo. Os terríveis 25%. Contra o Wolves, foi o terceiro período. Contra o Grizzlies, foi o segundo. O que acontece com o nosso time? Olhem, eu não tenho as respostas, mas posso dar pitacos. Na minha modesta opinião, nos falta um jogador para chamar a responsabilidade nos momentos críticos das partidas. Esse cara seria o Eric Gordon (lembram do que ele fez na nossa estreia?), mas o nosso SG titular ainda sente o joelho direito e só volta a jogar em um semana (pelo menos, essa é a previsão). Além disso, temos a questão psicológica. O time começa a errar, vê o adversário abrir vantagem e demora muito a se reencontrar na partida. E quando volta ao normal, já é tarde demais. Tem que tirar 16, 17 pontos de diferença, e acaba não conseguindo. Isso é algo que o treinador Monty Williams precisa resolver com os atletas. É conversa, organização, foco, auto-controle, etc. E por último, o mérito dos adversários. Afinal, a gente não entrega os pontos. Eles vão lá, aproveitam o nosso mau momento e constroem a vitória em cima do apagão do Hornets. Bem, essas foram as explicações que eu consegui encontrar para esse back-to-back horrendo. Se alguém que está lendo este post tiver mais alguma coisa a acrescentar, por favor, comente lá embaixo. Eu responderei o mais brevemente possível e poderemos debater sobre o assunto, como de praxe.

Confere aí algumas cestas do italiano Marco Belinelli, na derrota do Hornets para o Grizzlies. Pelo menos, as bolas de três pontos estão começando a cair…

OBS 1: Esse uniforme dourado e azul é muito bonito, mas dá um azar… Desde que começou a usá-lo, na temporada passada, o Hornets tem perdido muito mais jogos do que ganhado, quando o veste. Claro que isso é  uma superstição boba, mas qualquer torcedor procura se apegar a fatos como esse, quando as coisas não vão bem. Aliás, sugiro, novamente, a volta dos uniformes do New Orleans Buccaneers (para quem não lembra ou não viu, clique aqui)! Esses, sim, trazem sorte!

OBS 2: Alguém aí sabe por que o pivô Chris Kaman jogou uma média de apenas pouco mais de 16 minutos, nessas duas últimas partidas? É, no mínimo, estranho…


 FERROADAS

* HORNETS VS BLAZERS: Os zangões voltarão à quadra, nesta segunda-feira (16/01), às 18h (de Brasília), um horário terrível! O adversário é a boa equipe de Portland, e o duelo acontecerá na New Orleans Arena. O Brazilian Hornet tentará acompanhar, via Twitter. Contudo, existe uma enorme chance de isso não acontecer. Espero que o pessoal compreenda (18h é complicado!). E espero também que, após tantas tempestades, o nosso time não tenha desaprendido a conjugar o verbo vencer.

* RETROSPECTO ASSUSTADOR: Essa é para os que gostam de dezenas. Você sabia que, dos últimos dez jogos, o New Orleans Hornets venceu apenas um? Foram nove derrotas, meus amigos! Então, o time é uma porcaria? O pior, é que não é. Porcaria é a maneira como a nossa equipe tem perdido esses jogos. Isso mesmo, os 25%, os apagões em momentos cruciais, os inúmeros erros ofensivos, etc. Mas não voltarei a me alongar sobre esses assuntos. Já está de bom tamanho por hoje, não é mesmo?

About these ads

10 thoughts on “JOGOS DE TRÊS PERÍODOS

  1. Nossa cara, que legal, deve ter sido uma honra enorme pra vc ver o Brazilian Hornets sendo comentado lá em New Orleans, parabéns. Mas realmente o blog é muito bom. Tanto na aparência, quanto nas noticias e informações que vc passa. E o legal é que, mesmo agora, que o Hornets está numa maré de derrotas, vc continua postando e analisando os jogos. Muitos blogs só “funcionam” quando o time está bem. E aleluia um jogo do Hornets vai começar cedo! hehehe. Abs.

    • Obrigado, André! Mas o destaque do Joe não foi só para o BH, e sim para todo o pessoal do Brasil que curte o Hornets. Inclusive, você. Estamos todos internacionais, amigo!… rs… E valeu pelos elogios! Eu sou jornalista, mas esse blog eu faço como um torcedor. É um passa-tempo para mim. E eu sou Hornets nas vitórias e nas derrotas. Perder faz parte. O importante é seguir o time e procurar debater com o pessoal que curte os zangões. Somos poucos, mas somos guerreiros!… rs… Abço!

  2. Tá foda mesmo esses apagões, mas creio que alguns jogadores já estejam de corpo mole pro draft, pq fazer 13 pts em um quarto não se vê nem na NBB =P

    Eu tb já tô pensando no draft, não dá pra esperar muita coisa desse time. E contra o Blazers, devemos perder FEIO ! O time deles é ótimo, muito consistente.

    • Pois é, os apagões são chatos mesmo. Mas o time não está fazendo corpo mole, não, Léon. Disso, eu tenho certeza. Os caras estão lutando, jogando bem na maioria do tempo e perdendo os jogos nesses lapsos que vêm acontecendo. E vale lembrar que tivemos desfalques importantes em todos os jogos da temporada, até aqui. Religiosamente. Isso também é complicado.

      Sobre o draft, eu mantenho a minha opinião. Ainda não é hora de pensar nisso. O time tem que seguir pensando na temporada. O jogo contra o Blazers realmente será difícil e temos chances de perder, mas não acho que perderemos feio, não. Nosso time não é tão ruim. Ruim é a campanha. E ela pode ser melhorada ainda. Eu sigo acreditando que podemos (e devemos) fazer melhor. Abço!

    • Eu respeito sua opinião, mas discordo. O Hornets não é tão ruim quanto pensam. Acho que dois motivos estão atrapalhando bastante nossa equipe. 1) A falta de entrosamento. Houve muitas mudanças da última temporada pra cá. Saíram nove jogadores (2 deles eram os melhores da equipe, Chris Paul e David West), ficaram seis e chegaram outros nove. 2) Eric Gordon chegou pra ser o ‘cara’ dessa nova fase dos zangões, mas por conta das lesões, ele tem atuado muito pouco. Ariza, outro jogador importantíssimo do time, tbm se machucou e perdeu alguns jogos. Quer dizer, nosso time passou por uma reformulação muito grande, está desentrosado e ainda não está podendo contar com dois dos principais jogadores. Mas o elenco está com alguns jovens valores que podem render muito, principalmente nas próximas temporadas, Vasquez, Ayon, Aminu, Summers e principalmente o Gordon, que tem potêncial muito alto, um potencial de All Star, sem contar os jogadores mais experientes como o Landry, Okafor, Ariza e Kaman. O próximo draft é considerado pelos especialistas, o melhor desde 2003, e tem uma grande possibilidade do Hornets ter duas escolhas no Top 10 (O Hornets ganhou uma escolha do Wolves na troca do CP3). Poderemos pegar dois futuros Alls Stars, somado com o Gordon que já disse, tem muito potencial e mais aqueles bons jogadores que citei acima, com certeza vamos ter um ótimo time no futuro. Pode confiar. Abs

      • Excelente, André. É exatamente assim que eu penso. Nossa campanha é ruim, mas o nosso time não é esse horror todo. Temos tudo para crescer ao longo da competição. E, mesmo que não alcancemos os playoffs, poderemos deixar uma impressão muito boa em relação ao futuro. Temos talentos a serem desenvolvidos e não temos a pressão para vencer agora. É só tocar esse trabalho, que colheremos os resultados mais à frente (e o draft, claro, faz parte desse processo). Tenho certeza disso. Abço!

  3. Olha que boa noticia! Eric Gordon está na lista dos 20 jogadores da seleção dos EUA que farão parte dos treinamentos visando à olimpíada de Londres! Serão cortados 8 e 12 irão pra Londres. Vamos torcer pro Gordon ir representar o Hornets nas Olimpiadas!

    • Isso é legal. Ver um outro jogador do Hornets (possivelmente) sendo campeão olímpico é algo positivo. Mas, primeiro, o Eric Gordon tem que voltar a jogar. E jogar muito bem. Só assim, veremos ele em Londres. Afinal, a concorrência é braba, né amigo… rs

      Abço!

  4. Eu sei que o time não é fraco, porém não é forte o suficiente para ser campeão. E do que adianta ir pros playoffs e ser eliminado logo na primeira rodada ? Ir apenas pra participar ?

    Por mim já entrega logo os jogos, pq não podemos confiar no Wolves, o time dos caras é bom (melhor que o nosso, acho eu), e não dá pra confiar que eles terão uma boa um má campanha.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s